O ano de 2022 deve ser muito agitado no futebol brasileiro, além do calendário apertado por conta da Copa do Mundo do Catar, que será disputada entre os meses de novembro a dezembro, ainda contaremos com três datas FIFA, que sempre gera motivo de reclamações de clubes desfalcados.

Se não bastasse isso, temos os problemas de arbitragem, ainda acéfala, que necessita de uma reformulação profunda.

Para piorar ainda mais a temporada, teremos as eleições presidenciais dentro da Confederação Brasileira de Futebol, que não muito diferentes dos últimos anos, poderá terminar em disputas judiciais.

Presidente interino

Enquanto essa "bronca" não chega, a entidade máxima do futebol nacional segue sob o comando de Ednaldo Rodrigues - um dos oito vice-presidentes eleitos em 2018.

Lembramos que Rogério Caboclo, afastado do cargo pela Comissão de Ética da CBF após ser condenado no caso de assédio moral e sexual a uma funcionária da casa (CBF), não sabe se poderá concorrer a reeleição.

Arbitragem

Sem critérios mais enérgicos dentro da CBF, principalmente pela fala mansa do presidente-interino, que primeiro concorda com as reclamações para depois não apontar culpados, falta nesta comissão uma pessoa que possa colocar critérios mais unificados, tanto que seu ex-presidente fora demitido em novembro; aqui falamos de Leonardo Gaciba, onde desde então a pasta está sendo administrada também de forma interina por Alício Pena Júnior.

Calendário

Outro sério problema que o futebol brasileiro vem enfrentando há anos, é o seu calendário anual, visto a longa temporada e com uma carga exaustante de jogos.

Em 2022, o Brasileirão está previsto para iniciar no dia 10 de abril, tendo seu término marcado para o dia 13 de novembro. Nestes sete meses, teremos 38 rodadas, com pelo menos cinco jogos da seleção no meio destes, sendo três em junho e dois em setembro.

Para agravar ainda mais o cenário, a final da Série A em 2022 será em meio à reunião da seleção visando a Copa do Mundo, que tem seu início marcado para o dia 21 de novembro.

Como se não tivesse mais o que reclamar, não podemos esquecer da Libertadores e Copa Sul-Americana, com as finais marcadas para o mês de outubro, onde se algum time brasileiro tiver envolvido entre essas decisões, seus jogos do Brasileirão terão que ter suas datas alteradas.

Eleição

Para finalizar, teremos neste ano de 2022 a eleição para a escolha do novo presidente da CBF, que ainda não tem data marcada. A mesma deverá ocorrer entre os meses de março e abril, uma vez que o estatuto da casa prevê que a eleição ocorra um ano antes da posse da nova administração.

No entanto, com a Copa do Mundo do Catar sendo disputada no final do ano, isso poderá levar a um adiamento desta eleição para o segundo semestre de 2022.

Isso tudo sem falar numa possível eleição para escolher o presidente da CBF em um mandato tampão até abril de 2023; eleição essa que recairá sobre os oito vice-presidentes; aguardemos os próximos capítulos do futebol nacional.