Sem muitos recursos financeiros para investir em 2020, o Vasco ainda busca reforços, mas sabe que não tem o direito de errar. Com pouco ou quase nenhum valor em caixa, a diretoria tenta encontrar nomes que caibam dentro do orçamento e cheguem realmente para somar. Até por isso, o clube descartou a contratação

O volante paulista foi oferecido ao "cruzmaltino" na última semana, as direções dos clubes conversaram, mas a negociação não avançou. Além do salário considerado alto para os padrões do Vasco, pesaram o histórico de lesão e a inatividade de Jucilei - pouco aproveitado no Morumbi na última temporada.

O clube de São Januário não tem pressa no mercado, uma vez que não planeja inflacionar no Campeonato Carioca a folha salarial, atualmente na casa de R$ 3,7 milhões. O clube entende, no entanto, que é preciso investir para o Brasileirão para não correr risco de rebaixamento. Mas há um limite. A ideia é que a folha não supere os R$ 4,3 milhões.

Freddy Guarin está próximo de um acerto com o clube carioca.
Freddy Guarin está próximo de um acerto com o clube carioca.

Há negociações em andamento para chegadas imediatas. Em suas avaliações internas, a direção do Vasco, juntamente com a comissão técnica, chegaram a um consenso que o time ainda precisa de um zagueiro, um lateral-direito, dois homens de meio de campo e um atacante de velocidade para fechar o elenco. Um dos meias pretendidos tem nome e sobrenome e é um velho conhecido do torcedor: Fredy Guarín.

As tratativas para renovação do colombiano continuam e a distância entre valores encurtou. Mesmo considerando alta a proposta dos representantes do jogador, a direção acredita que com alguns ajustes as partes chegarão a um acordo em breve. A negociação é por um contrato até dezembro.

Outro que tem conversas em andamento é Dedé. De saída do Cruzeiro, a primeira pedida salarial foi considerada alta, uma vez que a diferença em relação ao que o Vasco oferece é muito grande. Ainda há a expectativa por um acerto.

Além de Guarín e Dedé, o Vasco também pensa em um reserva para Pikachu, um meia de criação e um substituto para Rossi no ataque.

Apesar da saída de Danilo Barcelos, contratação para a lateral-esquerda não está em pauta, no momento. Além de Henrique e da recuperação de Ramon, o clube confia em Alexandre e Riquelme, jovens formados na base.