Com números expressivos para 2020 se comparados aos desse ano, na próxima quinta-feira, 26 de dezembro, o Conselho Deliberativo do Vasco votará se aprova ou não a proposta orçamento de 2020.

O superávit, por exemplo, que foi de R$ 72 milhões, dobrou, passando para R$ 154 milhões. Em relação ao valor de receita bruta, uma margem líquida estipulada em 49,7%%. Outro fator curioso na proposta apresentada pela diretoria administrativa fica na parte de "Direitos Federativos e Econômicos", ou seja, quanto o clube espera arrecadar com uma possível venda de atletas. O valor é de R$ 46 milhões, bem inferior ao que se imagina receber em uma proposta por Talles Magno.

Previsão de receitas do Vasco para 2020

Fonte Valor
Receita líquida R$ 310 milhões
Superávit R$ 154 milhões
Direito de transmissões R$ 117 milhões
Sócio-torcedor R$ 48 milhões
Premiação em competições R$ 20 milhões
Bilheteria e venda de jogos R$ 20 milhões

Previsão de custos para 2020

Fonte Valor
Salário atletas R$ 24 milhões
Direitos de imagem R$ 9 milhões
Folha da comissão técnica R$ 5 milhões
Comissões e intermiações R$ 1 milhão
Jogos e competições R$ 12 milhões

Proposta prevê R$ 18,9 milhões em doações para o CT

Um dos principais objetivos da diretoria no próximo ano é a obra de construção do novo CT, que prevê R$ 18,9 milhões em doações, sendo que o custo final seria de R$ 22 milhões. Entre os maiores gastos estão: Superestrutura - R$ 5 milhões, campos - R$ 1,5 milhões, campo/estádio - R$ 1,7 milhão e parte elétrica - R$ 1,5 milhões.

Já em relação aos custos gerais para a temporada, o cruzmaltino, mesmo com um bom superávit, também não descarta a possibilidade de um empréstimo no valor de R$ 42 milhões para manter as contas em dia.