Vasco pretende pagar atrasados nesta quarta-feira; entenda

Após apresentação oficial do novo treinador, o presidente vascaíno - Alexandre Campello declarou que está em fase final de concluir acordos e com isso poderá iniciar o pagamento de atrasados.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Após a apresentação oficial de Abel Braga como mais novo técnico do Vasco da Gama, Alexandre Campello em sua coletiva, afirmou que o clube deve começar a pagar ainda nesta quarta-feira os salários atrasados. A diretoria negocia acordo com a União para desfazer as penhoras sobre a premiação referente ao Campeonato Brasileiro.

"Estamos concluindo alguns acordos e a gente espera ainda essa semana ficar livre de todas as penhoras para solucionar essas questões das dívidas. E ainda hoje começar a regularizar o pagamento de funcionários e jogadores. Mais tarde vamos dar mais detalhes, quando toda a operação estiver concluída. Mas hoje já deve ter alguma novidade", declarou o mandatário vascaíno.

Os jogadores do Vasco estão com o mês de outubro atrasado, enquanto funcionários não receberam setembro e outubro. Como no clube o vencimento é no dia 20, na próxima sexta a diretoria teria o compromisso de pagar o mês de novembro.

Alexandre Campello - presidente do Vasco da Gama.
Alexandre Campello - presidente do Vasco da Gama.

Durante a apresentação de Abel, o presidente do cruzmaltino voltou a pregar pés no chão no planejamento financeiro do Vasco para a próxima temporada.

"Estamos de olho no mercado para contratações, na medida do possível a gente vai trazer alguns reforços e a ideia é trazer alguém que faça a diferença. Mas nós vamos continuar trabalhando da maneira como temos encarado os problemas do Vasco: com seriedade e comprometimento de resolver as questões financeiras", concluiu Campello.

O Vasco tem direito a receber R$ 14,6 milhões de premiação do Brasileirão, mas o valor em questão foi bloqueado a pedido da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) por causa de dívidas do clube com a União. O clube tem sete inscrições em dívida ativa, totalizando R$ 22.266.526,30.

A maior parte da dívida é referente ainda ao período de gestão de Eurico Miranda e é composta por valores retidos de jogadores e funcionários e não repassados ao Fisco. A atual diretoria negociou o débito em dezembro de 2018, mas só pagou uma parcela de um total de 60, no valor de R$ 370 mil.

Desde a decisão judicial que bloqueou a verba, na última semana, o clube abriu negociações com a PGFN para conseguir um novo acordo e liberar o valor que tem direito a receber como premiação pelo Brasileirão.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal