O Fortaleza nesta última quarta-feira ficou apenas no empate em 0 a 0 diante do Fluminense, no Maracanã e com isso não tem mais chances matemáticas de ir para a Libertadores. Contudo, o grande feito da equipe se mantém: irá disputar a Sul-Americana em 2020.

Mas o grande problema dos torcedores neste momento é em relação à decisão mais aguardada do ano; se Rogério Ceni permanecerá ou não no clube. Na coletiva de imprensa após a vitória contra o Goiás, Ceni chegou a comentar que, naquela data, "o coração dizia para ficar", no entanto, a decisão deve ser tomada no próximo final de semana.

O comandante técnico do "Tricolor do Pici" ainda fez uma análise das experiências vividas na temporada atual; lembrando que Rogério Ceni deixou o Fortaleza e seguiu para o Cruzeiro na 14º rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, mas retornou ao time cearense 47 dias depois, e comandou o Tricolor no duelo contra o Botafogo.

"Quando eu batia faltas, eu perdia e acertava, mas tomava decisões. O Cruzeiro é um dos grande clubes do futebol, me contrataram para fazer as coisas acontecer e tenho certeza que teria feito, mas existem escolhas. Depois que saí de lá passei dois dias pensando se deveria voltar. Foi uma tomada de decisão difícil, mas importante. Fiquei feliz em ter voltado. Foi extremamente cansativo e difícil de se manter focado, mas sou muito grato por tudo que aconteceu", explicou.

Diante do empate com o "Tricolor das Laranjeiras", o Fortaleza se manteve em nono lugar e disputará a Sul-Americana em 2020. Na última rodada, o Fortaleza recebe o Bahia, às 16 horas, na Arena Castelão, no próximo domingo.