Presidente da CBF cobra o uso imediato do árbitro de vídeo no Brasileião

Marco Polo del Nero pede uso imediato da tecnologia do árbitro de vídeo já para a sequência do Campeonato Brasileiro.

Por
Compartilhe

Após a polêmica envolvendo o atacante Jô do Corinthians ao marcar um gol com o braço no último jogo contra o Vasco pelo Brasileirão, a Confederação Brasileira de Futebol – CBF comunicou nesta última segunda-feira que irá antecipar o uso da tecnologia do árbitro de vídeo para assim tentar minimizar os constantes erros de arbitragem na competição. O uso da tecnologia já começará a valer para essa próxima rodada.

Marco Polo Del Nero quer honestidade no futebol.Marco Polo Del Nero quer honestidade no futebol.

A decisão tomada pela CBF está dentro do que diz o “Regulamento Geral de Competições”, nos artigos 75, 76 e 77. Vale salientar que não existe a obrigatoriedade do uso em todos os jogos e nem mesmo dentro da mesma rodada - sendo observadas as condições técnicas e materiais.

Presidente da CBF cobra o uso imediato do árbitro de vídeo no Brasileião

Veja o que diz o regulamento do Campeonato Brasileiro:

"Art. 75 - A CBF poderá utilizar a tecnologia em arbitragens nas competições nacionais que coordena, adotando a forma, termos e limites constantes do projeto que elaborou e do respectivo protocolo determinado pela International Football Association Board - IFAB, que passam a fazer parte integrante e indissociável deste RGC.

Art. 76 - Será de responsabilidade exclusiva da CBF e de sua estrutura de Arbitragem - Comissão, Departamento e Escola, sob a coordenação do Líder e instrutor de árbitros, como representantes da entidade na IFAB, dar toda a orientação a todos os envolvidos na tecnologia da arbitragem. 

Leia também:

Parágrafo único - Incumbe à CBF designar as pessoas que atuarão no processo de tecnologia de arbitragem: árbitros, árbitros assistentes, quarto (4º) árbitro e Árbitros de Vídeo (AV), sendo que estes poderão ser árbitros em atividade, ou ex-árbitros integrantes da estrutura de Arbitragem, ou instrutores de arbitragem internacionais e/ou nacionais vinculados à CBF.

Art. 77 - O uso de "AV" deve ocorrer, a partir do momento em que a Comissão de Arbitragem da CBF apresente condições técnicas e materiais - o que poderá se dar no curso de qualquer das competições que coordena, independentemente de fase.

  • 1º - A CBF não está obrigada a utilizar a tecnologia da arbitragem em todos os jogos da mesma competição ou da mesma rodada, na medida que depende de condições técnicas e materiais para fazê-lo.
  • 2º - Somente o “AV” da CBF é válido para as decisões oriundas dos árbitros que têm a natureza fática e são definitivas nos termos da regra nº 5 do Futebol e do protocolo da IFAB.
  • 3º - A eventual existência de outros vídeos com outros ângulos obtidos em partidas com transmissão direta são oficiosas e não afetarão as decisões da arbitragem, seja para impugnação do resultado, seja para obter qualquer espécie de reparação pelos clubes disputantes ou por terceiros."

Depois do lance da partida entre Corinthians e Vasco envolvendo o atacante Jô - em que o árbitro e o auxiliar admitem não terem visto irregularidade na hora do gol, o presidente da CBF Marco Polo Del Nero, cobrou o presidente da comissão de arbitragem da CBF, Coronel Marinho, exigindo que o sistema eletrônico seja implantado “imediatamente”, de preferência já para a próxima rodada do Brasileirão – Série A.

A CBF tinha como ideia inicial usar o sistema apenas nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, mas com o acontecido e com os constantes erros da arbitragem, foi decidido antecipar seu uso:

“Não é nada barato, custa caro e a CBF acha que vale o investimento. Serão alguns milhões para viabilizar infraestrutura e equipamentos. Irá começar pela Série A. O esforço é para começar já nesse fim de semana e esse foi o pedido do presidente Marco Polo”, declarou uma fonte da CBF à Reuters.

Segundo a CBF, uma parceria com a empresa que detém os direitos de transmissão da competição deve ser consolidada para adotar o novo sistema – que já vinha sendo testado pela CBF, especialmente neste ano, mas em “off ”.

Ainda de acordo com a CBF, neste ano representantes da entidade e árbitros brasileiros participaram de treinamentos teóricos e práticos sobre o uso do sistema e também de curso de capacitação que vem sendo realizado na sede da Conmebol, no Paraguai, desde a semana passada.

Com o anúncio, uma nova polêmica surgiu, uma vez que o sistema não foi usado em boa parte da competição e muitos erros que ocorreram não poderão ser corrigidos. Para o ex-árbitro, Pedro Bregalda, o uso do sistema de vídeo tinha de ter sido usado desde o começo do Campeonato e começar agora poderá causar uma distorções:

“O certo era ter usado o sistema desde o início da competição. Iniciar agora poderá causar uma distorção no campeonato, mas acredito que seu uso é um avanço. As coisas no Brasil só andam mesmo quando existe mobilização e repercussão. Esse é o caso”, afirmou Bregalda.

A FIFA já informou que está estudando a possibilidade de usar os árbitros de vídeo assistentes na Copa do Mundo de 2018 e a decisão deverá sair em março do ano que vem, quando o “Conselho da Associação Internacional de Futebol”, irá decidir se irá permitir o uso do sistema de forma permanente.

Comentários