Sem dúvidas, entre os 5 títulos mundiais do Brasil em Copas, a conquista de 1994 nos Estados Unidos é a mais marcante. O título teve diversos protagonistas, e mais do que isso, quebrou um jejum de 24 anos sem vencer a competição. Entretanto, você sabe quem foi o time titular da seleção do tetra? Os adversários? Como foi cada partida? É isso que vamos ver.

Detalhamos toda a campanha que culminou com a conquista da nossa quarta taça e que resgatou a identificação da torcida e o orgulho de ver nossa seleção em campo. Mas antes vamos ver os convocados para a edição.

A campanha do Brasil na Copa do Mundo de 1994

Antes de mais nada, vamos ver quem foram os 22 convocados para o torneio sediado nos Estados Unidos. Isso mesmo, somente na edição de 2002 é que a FIFA permitiu a convocação de 23 atletas.

GOLEIROS LATERAIS ZAGUEIROS VOLANTES MEIAS ATACANTES
Taffarel Branco Aldair Mauro Silva Zinho Bebeto
Gilmar Leonardo Ricardo Rocha Dunga Raí Romário
Zetti Jorginho Ronaldão Mazinho Ronaldo
Cafu Marcio Santos Vola
Paulo Sérgio
Muller

Além disso, elencamos também os jogadores que marcaram os 11 gols da canarinho na edição da Copa do Mundo de 94. Veja:

  • Romário (Atacante): 5 gols
  • Bebeto (Atacante): 3 gols
  • Raí (Meio-campo): 1 gol
  • Marcio Santos: 1 gol
  • Branco (Lateral-esquerdo): 1 gol

A seleção brasileira de 1994 não chegou a competição como uma das favoritas. Passou por diversas dificuldades nas eliminatórias, e conseguiu a classificação apenas na última rodada, com uma vitória sobre o Uruguai por 2 a 0.

Além do desempenho abaixo do esperado, o fracasso do time de 1990, que era tido como mais qualificado, fez com que boa parte da torcida brasileira não tivesse muita confiança no time comandado por Carlos Alberto Parreira.

O Brasil na primeira fase de 94

Brasil 2x0 Rússia

20 de junho. Este foi o dia da estreia brasileira no torneio. Como era de se esperar, o primeiro duelo sempre nervoso e truncado, teve vitória da seleção brasileira. Mesmo sem ter uma das melhores atuações da campanha, o time contou com o brilho de Romário, que aos 26 minutos do primeiro tempo, desviou cobrança de escanteio para abrir o placar. A qualidade individual da seleção brasileira sobre os russos foi suficiente para não ver a vitória ameaçada.

No segundo tempo, logo aos 7 minutos, Raí cobrou pênalti com perfeição para ampliar o placar. Mesmo com alguns gols perdidos por Romário, a fragilidade do adversário contribuiu para a primeira vitória do Brasil na Copa do Mundo.

Raí comemora o segundo gol do Brasil sobre a Rússia. (Foto:Veja)
Raí comemora o segundo gol do Brasil sobre a Rússia. (Foto:Veja)

Brasil 3x0 Camarões

Quatro dias depois da estreia, num 24 de junho, a segunda partida da fase de grupos. O adversário da vez foi Camarões, um dos expoentes do futebol africano na época. Mesmo com qualidade individual e coletiva superior, a seleção brasileira teve dificuldades na criação de jogadas, e coube a Romário, mais uma vez, principal nome do time, abrir o placar aos 39 minutos, em rápido contra-ataque.

Na segunda etapa, aos 21 minutos, o Brasil ampliou o placar com um gol de cabeça de Márcio Santos. Ainda deu tempo de Bebeto, aos 28 minutos, dar números finais ao jogo. Juntamente com a vitória, veio o encaminhamento da classificação para as oitavas de final.

Romário marcou o primeiro gol do Brasil sobre Camarões. (Foto: O Globo)
Romário marcou o primeiro gol do Brasil sobre Camarões. (Foto: O Globo)

Brasil 1x1 Suécia

Com a classificação praticamente definida, o Brasil enfrentou a Suécia na última rodada da fase de grupos. Sem dúvidas, esta foi a partida mais difícil para o time, que sofreu muito com a criação de jogadas, e até por isso, saiu atrás no placar, com um gol de Andersson, aos 23 minutos.

No primeiro minuto do segundo tempo, Romário, o grande nome da seleção brasileira, marcou seu terceiro gol na competição, e deu o empate em boa jogada individual. O Brasil exerceu grande pressão na segunda etapa, mas não chegou ao gol da vitória. Não precisou, o empate foi suficiente para garantir o primeiro lugar do grupo B com 7 pontos, a frente dos suecos que se classificaram com 5.

Brasil ficou apenas no empate com a Suécia pela fase de grupos: 1 a 1. (Foto:Pinterest)
Brasil ficou apenas no empate com a Suécia pela fase de grupos: 1 a 1. (Foto:Pinterest)

Oitavas de final

Brasil x Estados Unidos

Talvez o jogo mais nervoso da Copa. Uma difícil vitória, suada, contra os donos da casa mostrou que a seleção estava pronta para ir longe na competição. Além de toda a pressão na partida, o público de mais de 63 mil pessoas foi um grande obstáculo a superar.

Além disso, a expulsão de Leonardo aos 43 minutos do primeiro tempo, ainda em 0x0, foi mais um ingrediente na classificação. Com um jogador a menos, a seleção brasileira teve que se reajustar taticamente no segundo tempo. Entretanto, aos 27 minutos do segundo tempo, Bebeto brilhou e após passe de Romário, deslocou o goleiro e marcou o único gol do jogo, garantindo vaga nas quartas de final para o Brasil.

Bebeto e Romário comemoram gol da vitória sobre os Estados Unidos. (Foto: Divulgação/FIFA)
Bebeto e Romário comemoram gol da vitória sobre os Estados Unidos. (Foto: Divulgação/FIFA)

Quartas de final

Brasil 3x2 Holanda

O desafio das quartas de final era a Holanda, talvez até ali a equipe favorita a ganhar a Copa. Com grande destaque do meia Bergkamp, a partida foi cheia de emoção e gols. Entretanto, todos foram marcados na segunda etapa, com o Brasil abrindo o placar com Romário, que aos 8 minutos, recebeu passe de Bebeto e empurrou para as redes. Aos 18 minutos, Bebeto fez boa jogada individual e ampliou o placar. Depois disso, Bergkamp e Winter empataram o duelo, mas Branco, aos 36 minutos, garantiu a vitória e a classificação para as semifinais.

Branco marcou, de falta, o gol que classificou o Brasil às semifinais. (Foto:Divulgação/FIFA)
Branco marcou, de falta, o gol que classificou o Brasil às semifinais. (Foto:Divulgação/FIFA)

Semifinal

Brasil 1x0 Súecia

De novo a Suécia. Cruzamos o caminho dos europeus mais uma vez após o empate na primeira fase. Para chegar na grande final da Copa do Mundo, a seleção brasileira teria que ter a missão de novamente derrotar a Suécia, única a não ter sido derrotada pelo Brasil até então.

Como era de se esperar, o forte sistema defensivo do time sueco impôs dificuldade ao Brasil. Em um jogo bastante disputado, coube ao principal jogador brasileiro na competição, Romário, aos 35 minutos do segundo tempo, fazer, de cabeça, o gol do jogo e que colocaria o Brasil em mais uma final de Copa do Mundo.

Romário marcou o gol que levou o Brasil para a final depois de 24 anos. (Foto:Divulgação)
Romário marcou o gol que levou o Brasil para a final depois de 24 anos. (Foto:Divulgação)

A Final de 94

Brasil 0x0 Itália (3x2 nos pênaltis)

A final chegou, e com ela, Brasil e Itália, duas equipes que não eram as favoritas daquela edição duelaram para mais de 94 mil torcedores no Rose Bowl em Pasadena. O time brasileiro chegou com extrema confiança e com o atacante Romário sendo o protagonista do time. Entretanto, os italianos eram muito disciplinados taticamente, e comandados por Roberto Baggio (escolhido o melhor jogador do mundo naquele ano) formavam uma equipe bastante segura e eficiente.

Na primeira etapa da final, o Brasil tomou a iniciativa do jogo, sendo mais incisivo, e criando as melhores oportunidades. Algumas chegadas esporádicas da Itália assustaram, mas as defesas de Taffarel evitaram o gol. A melhor oportunidade do primeiro tempo foi no (quase) frango de Pagliuca, que contou com a ajuda da trave depois de um chute de longe.

Pelo restante da partida, a atuação dos times continuou a mesma do primeiro tempo. O Brasil continuou atacando e criando chances, a mais perigosa delas sendo a de Romário, que na pequena área, recebeu lançamento, mas chutou para fora.

Com o empate sem gols, a decisão foi para os pênaltis. Pelo Brasil, Romário, Branco e Bebeto marcaram, enquanto Marcio Santos desperdiçou.

Pela Itália, Albertini e Evani marcaram, mas Baresi, Massaro e o fatídico chute por cima do gol de Baggio, lembrado até hoje, deram o tetracampeonato mundial a nossa amarelinha.

Roberto Baggio desperdiçou o pênalti que deu o título mundial ao Brasil. (Foto:Divulgação)
Roberto Baggio desperdiçou o pênalti que deu o título mundial ao Brasil. (Foto:Divulgação)
Dunga levanta a taça da Copa do Mundo para o Brasil. (Foto:Divulgação)
Dunga levanta a taça da Copa do Mundo para o Brasil. (Foto:Divulgação)