Após a demissão de Vadão do comando técnico da Seleção Feminina do Brasil, caberá a Marco Aurélio Cunha - Coordenador de Futebol Feminino da CBF escolher o novo nome para tal função.

Em entrevista ao site "UOL Esporte", o dirigente da Confederação Brasileira de Futebol declarou que está seguindo as diretrizes do novo presidente da entidade - Rogério Caboclo para escolher um nome que agrade a todos. A definição deverá ocorrer nos próximos dias.

"Eu acredito que até o fim de semana teremos uma definição a respeito. Agora vou ser o advogado do diabo. Se o treinador chegar aqui hoje, ele pode convocar alguém? Não pode. Essa pressa absoluta não faz sentido. Ele ou ela pode pensar, mas terá o prazo normal. Nós temos uma data FIFA para jogar no fim de agosto, e teremos o mês de agosto praticamente todo para planejar", destacou Cunha.

O nome mais forte atualmente para assumir o comando técnico da Seleção Feminina de Futebol do Brasil é o da sueca - Pia Sundhage, porém, o dirigente desconversou a respeito desse.

"Não falo sobre nomes. O presidente me deu uma missão. Cabe ao presidente dar uma diretriz, e cabe a mim buscar o nome. Eu realizo as missões que o presidente me passa", respondeu ele.

Outro nome na mira da seleção feminina é o da Ana Lucia Gonçalves, que até bem pouco tempo vinha comandando o time feminino do Palmeiras.

Vale ressaltar que o dirigente da CBF encarregado em encontrar um nome para substituir Vadão no comando técnico da seleção feminina não descarta essa possibilidade.

"Eu acho que há uma expectativa enorme para que posto no futebol seja ocupado por uma mulher, algo que acho legítimo. Desde que a profissional em questão esteja preparada. Eu acho que é um processo de treinamento. Para mim, não há nenhuma diferença entre homens e mulheres no comando de nada, apenas a experiência de cada um no setor", finalizou.