Tite deverá responder a CBF se fica, até o final de semana

Em caso de uma resposta negativa por parte de Tite, a confederação não possui um "plano B".

Por
Compartilhe

Conforme já haviamos informado ainda durante a Copa do Mundo da Rússia, o técnico da Seleção Brasileira – Tite, deverá permanecer no cargo até a Copa do Catar em 2022, caso contrário, a Confederação Brasileira de Futebol – CBF não possui um “plano B”, ou seja, se o treinador de última hora desistir de permanecer, nomes para ocupar o lugar ainda não foram estudados.

Tite - treinador da seleção brasileira.Tite - treinador da seleção brasileira.

Mas a chance do gaúcho não permanecer a frente da seleção é muito pequena, visto que a CBF acredita que tudo estará resolvido até no máximo domingo. Informações de bastidores dão conta de que já houve uma sinalização por parte dos auxiliares de Tite de que não haverá obstáculos por sua permanência a frente da Seleção Brasileira.

No novo contrato entre Tite e CBF, além do treinador ter um aumento de salário, o mesmo ainda também ficará responsável pelo comando da Seleção até a Copa de 2022, conforme já anunciamos no início da matéria. Tite que atualmente recebe algo em torno de R$ 700 mil/mês deverá passar a receber algo em torno de 900 mil/mês neste novo acordo – isso fora alguma remuneração extra sob conquista da Copa América em 2019, da Copa das Confederações em 2021 e da Copa do Mundo em 2022.

Lembrando mais uma vez que a confederação não possui nenhuma espécie de “plano B” para o cargo de treinador, que aposta todas as suas fichas na permanência de Tite no cargo. Desde que assumiu o comando técnico da seleção do Brasil, Tite foi derrotado em apenas duas ocasiões – uma durante a Copa do Mundo, contra a Bélgica e outra em um amistoso durante a preparação para o Mundial da Rússia – contra a Arg

Mais sobre: tite brasil cbf
Comentários