Com a classificação direta a Libertadores, Raí ganha força e deve permanecer no São Paulo em 2020

Antes da vitória do “Tricolor Paulista” sobre o Internacional, na última quarta-feira, no Morumbi, a saída do mesmo era dada como inevitável.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Com a classificação direta a Libertadores de 2020, Raí ganhou força nos bastidores e deverá continuar como executivo de futebol do São Paulo, no próximo ano. Antes da vitória do "Tricolor Paulista" sobre o Internacional, na última quarta-feira, no Morumbi, a saída do mesmo era dada como inevitável.

A classificação para a fase de grupos da Libertadores, o comportamento dos jogadores a favor de Raí e pressões de diferentes alas do clube sobre o presidente Leco, mudaram essa tendência.

Pressionado por grupos políticos da base aliada a fazer uma reestruturação e a tirar Raí do cargo, Leco havia definido que o diretor-geral do São Paulo, Carlos Belmonte Sobrinho seria o nome ideal para assumir a função em caso de saída de Raí. Mas essa troca não irá ocorrer. Neste momento, Leco está mais propenso a renovar com Raí até o fim de 2020, quando seu mandato terminará, do que mandá-lo embora.

Raí é um dos principais nomes na direção do São Paulo.
Raí é um dos principais nomes na direção do São Paulo.

Em meio à indefinição sobre o futuro de Raí, foi cogitada a possibilidade de uma composição na gestão do departamento de futebol. Esse formato acomodaria o ídolo e Belmonte em diferentes funções, mas essa ideia não avançou.

Independentemente da provável permanência ou não de Raí, o "Tricolor Paulista" precisa vender jogadores para fechar as contas no azul e Antony aparece como principal peça deste quebra-cabeça, tendo boas chances de ser negociado - ele desperta interesse de clubes da Alemanha. O clube são-paulino precisa vender jogadores para, por exemplo, contratar Tiago Volpi, uma das prioridades para 2020.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal