Apesar de ser o jogador com mais títulos importantes na história - são 40 com clubes e Seleção, sua vinda não foi suficiente para fazer o São Paulo vencer o Brasileiro e com isso sua permanência para 2020 não está garantida, mesmo tendo assinado um longo contrato com o "Tricolor Paulista".

Estamos falando de Daniel Alves, que próximo de seus 37 anos, viu sua idolatria ser abalada por fracos resultados do time. Chegou a ser vaiado e muito xingado pela torcida são-paulina.

Ele conseguiu, criou problema grave e foi o pivô silencioso pela queda de Cuca. O treinador o queria na lateral direita, onde é um dos melhores do mundo. Porém, no futebol brasileiro, ele insiste em jogar no meio de campo. Até para se desgastar menos e ter a carreira prolongada.

Como principal astro principal do elenco são-paulino, ele conseguiu impor o técnico que queria. A sua postura firme convenceu Raí e o inseguro Leco a apostarem em Fernando Diniz, virando as costas à sonhada interinidade de Vagner Mancini. A instabilidade do time contagiou seu futebol. E rapidamente a promessa do presidente do clube que haveria patrocinadores para bancar o salário de Daniel Alves se desfez.

Ele é o jogador que mais recebe no futebol brasileiro. São nada menos do que R$ 1,5 milhão a cada 30 dias - por um contrato de três anos e meio, ou seja, R$ 18 milhões por ano. Serão R$ 6 milhões até dezembro de 2022.

Vale lembrar que antes dele (Dani Alves) retornar ao futebol brasileiro, a Juventus e Milan queriam o jogador - mas com contrato curto, de apenas um ano e como "lateral".

Com várias críticas com relação as suas exibições, Daniel Alves mesmo declara dizendo que: "Não sei quanto tempo ficarei aqui"

Desde 2008, o jogador tem cumprido seus contratos - são oito anos no Barcelona, um ano na Juventus e dois anos no PSG, ou seja, no meio da festa, ele abre espaço para uma saída.

Entre conselheiros importantes do São Paulo, o grande jogador deixou de ser unanimidade. A insistência em não querer jogar pela lateral direita é vista como desrespeitosa ao clube e egoísmo.

Muitos acreditam que Leco pensou apenas na sua administração, que termina em dezembro de 2020, ao comprometer o clube por mais dois anos pagando R$ 1,5 milhão por mês até dezembro de 2022 ao jogador, que terá 39 anos - ao final deste.

Daniel Alves que não é bobo, nem nada, já percebeu a situação e mesmo declarando estar feliz em São Paulo e no clube de seu coração, pode não permanecer até o final de seu contrato com o "Tricolor Paulista".

Tanto que por algumas vezes já deixou claro aos fãs. A frase "Não sei quanto durará esse sonho aqui", não pode ser esquecida.

Daniel Alves veio para ser idolatrado e não para ser xingado - claro que o torcedor é passional e quer ver seu clube ganhando títulos e ver seu principal atleta ser o melhor.

Porém, se for para ser apenas mais um a aumentar o jejum do São Paulo - que já dura sete anos sem conquistas, ele não deverá durar tanto tempo.