Uma das maiores curiosidades do torcedor são-paulino hoje é: Raí fica no São Paulo para a próxima temporada? Apesar de só ter contrato até dezembro, o diretor-executivo de futebol do Tricolor Paulista tem garantido a pessoas da sua confiança que permanecerá no Morumbi, segundo reportagem de Jorge Nicola, do site "yahoosports" e que iremos repassar para você, amigo leitor.

"O Raí não pretende deixar o time antes de uma conquista", avalia um amigo do dirigente. "Ele continua motivado e quer ganhar alguma coisa como gestor, o que representaria a conclusão de seu trabalho."

A única possibilidade de Raí deixar o São Paulo hoje, seria se o presidente - Leco optar por não oferecer um novo contrato ao dirigente. Existe, internamente, pressão pela saída do executivo, mas o presidente são-paulino não tem dado qualquer sinal de que cogita abrir mão de seu fiel escudeiro - o mandato de Leco termina em dezembro de 2020.

Um dos maiores ídolos da história tricolor, Raí assumiu o cargo de diretor-executivo de futebol no fim de 2017. Em quase duas temporadas, existem pontos positivos e negativos. Neste mesmo período, o Tricolor Paulista tem aproveitamento de 52% dos pontos, com 118 jogos, 49 vitórias, 36 empates e 33 derrotas.

Na "era" Raí, o São Paulo melhorou no Brasileirão: ficou em quinto no ano passado, mesma posição do time atualmente - nas duas edições anteriores da Série A, o Tricolor havia ficado em 10º e 13º. O São Paulo ainda voltou a uma final depois de seis anos - perdeu o Paulistão para o Corinthians em abril.

Porém, pesam contra o diretor de futebol o seu salário, que é de R$ 160 mil mensais, além deste quesito, também entram aqui as questões financeiras e os erros nas contratações. Vale lembrar que o Tricolor fechou os oito primeiros meses do ano com déficit de R$ 77 milhões. Raí ainda bancou as chegadas de Daniel Alves, Juanfran, Pato, Pablo, Hernanes e outros.