Enfrentando um novo processo de impeachment no Santos, o presidente afastado pelo Conselho Deliberativo do Clube na última segunda-feira, teria entrado com uma liminar na 11ª Vara Cível do Foro da Comarca de Santos, solicitando a sua recondução ao cargo máximo do "Peixe".

Obviamente que estamos falando de José Carlos Peres, que na ação movida aponta alguns itens que considera irregular em seu afastamento da presidência do clube, como, por exemplo:

  • O Conselho Deliberativo não ser órgão correto para afastamento, mas sim a Assembléia de Sócios, que o elegeu;
  • A falta de urgência para o afastamento;
  • O desgaste esportivo do Santos FC;
  • A falta de consideração a ampla defesa, que poderá ser utilizada pelos afastados nos próximos 10 dias;
  • A presença de candidatos a presidência do Santos, em eleição a ser realizada em dezembro, na votação, exercendo o cargo de conselheiros.

Com tudo isso, a defesa de Peres classifica toda essa "gritaria" em relação a sua suspensão do cargo como "golpe", e solicita a retomada imediata ao seu mandato, considerando o afastamento ilegal e leviano.

Além disso, o advogado de José Carlos Peres relata em documento uma tutela para a anulação da reunião do Conselho, que havia sido emitida na última sexta-feira, mas não apreciada a tempo por demanda da Vara. Com o presidente santista, também foram afastados sete membro do Comitê de Gestão: Anilton Perão, Estevam Rujas, Fabio Gaia, José Bruno Carbone, Matheus Rodrigues, Paulo Schiff e Pedro Doria.