Santos é acionado pela FIFA no caso Cueva; entenda

Sem ter um contrato em definitivo com o clube brasileiro; alega que teria sido "liberado", e por esse motivo procurou a FIFA para poder assinar com o Pachuca - do México.

Por Müller
Compartilhe

O Santos está em maus lençóis perante a entidade máxima do futebol, é que a FIFA comunicou nesta quinta-feira que o clube da "Vila Belmiro" terá até a próxima segunda-feira - 10 de fevereiro para se manifestar sobre um pedido de transferência feito pelo Pachuca, que quer assinar com o meia Cueva. O jogador alega estar livre e por isso mesmo já se deslocou ao México para se apresentar ao "novo" clube.

Contratado junto ao Krasnodar - da Rússia, em 2019; Cueva em seu primeiro ano teve um vínculo de empréstimo, que seria substituído por outro, definitivo, quando o período inicial acabasse. O acordo previa que o Santos iniciaria o pagamento de US$ 7 milhões - algo próximo a R$ 29 milhões a partir de 2020, já como detentor dos direitos econômicos de Cueva.

Para ligar um contrato a outro, Santos e Cueva assinaram pré-contrato. O acordo definitivo, porém, nunca foi assinado pelo atleta, que agora afirmou à FIFA que não recebeu parte dos pagamentos e quer que a entidade o libere para acertar com o Pachuca.

De acordo com as últimas informações publicadas do caso, pelo site "globoesporte.com", o Santos deve dois meses de direitos de imagem ao atleta - menos do que os três meses definidos pela Lei Pelé como motivo para rescisão contratual. Cueva não acionou a Justiça do Trabalho no Brasil, mas sim a FIFA, que pode arbitrar esse tipo de discussão quando o caso envolve clubes de países diferentes.

Cueva teria assinado um pré-contrato com o Santos, mas jamais assinou um contrato em definitivo.
Cueva teria assinado um "pré-contrato" com o Santos, mas jamais assinou um contrato em definitivo.

Segundo advogados ouvidos pela reportagem, a entidade máxima do futebol, ao receber a manifestação do clube devedor, normalmente ainda estipula um novo prazo para que as dívidas sejam quitadas antes de decidir pela liberação ou não do atleta.

Quando comprou Cueva do São Paulo, em 2018, o Krasnodar anunciou contrato com o meia até julho de 2022 - o que faria com que ele, na hipótese de ter encerrado o empréstimo com o Santos, retornasse a ter vínculo com a equipe russa.

No sistema de transferências da FIFA, porém, Cueva aparece como jogador sem contrato. Não está claro como - ou mesmo se - foi encerrado o vínculo dele com o Krasnodar. A reportagem do site acima citado nesta matéria procurou o clube russo, que não respondeu.

Para que ele possa assinar com o Pachuca, porém, será preciso que o ITC (International Transfer Certificate) - documento necessário para transferências internacionais, seja liberado pela Confederação Brasileira de Futebol - CBF, o que aconteceria a pedido do time vendedor. O ITC de Cueva continua "bloqueado" no Brasil.

Procurado pela reportagem do "globoesporte.com" desde o último sábado para comentar sobre a possibilidade de Cueva assinar com o Pachuca, o Santos, até agora, não se manifestou sobre o caso.

Mais sobre: santos cueva fifa
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal