Jorge Sampaoli não é mais técnico do Santos. Em uma longa reunião na noite da última terça-feira, o argentino não concordou com o planejamento da diretoria do clube paulista para a próxima temporada, e com isso, pediu demissão. O anúncio oficial foi feito através das redes sociais do clube:

Confira na íntegra a nota oficial do Santos FC:

"O Santos FC comunica que, na data de 09/12/2019, em reunião realizada pela manhã no CT Rei Pelé, o treinador Jorge Sampaoli pediu demissão do cargo.

Uma vez comunicada a demissão pelo treinador, o caso foi entregue aos departamentos jurídico e de recursos humanos do Clube."

A saída de Sampaoli do Santos era iminente. Primeiramente, a relação do técnico com o presidente do Peixe, José Carlos Peres, já vinha sendo muito conturbada há meses, e inclusive, segundo informações de setoristas do clube, as partes sequer tinham comunicação na parte final do ano. O principal fator que teria irritado Sampaoli teria sido o não-cumprimento de diversas promessas feitas no início do ano, sobretudo na questão de investimento e sobre a saúda financeira do time da Vila Belmiro.

O acordo original previa multa de rescisão de R$ 10 milhões. Sampaoli pediu que a cláusula fosse retirada do acordo, mas Peres, quando questionado sobre o assunto, negou que o pedido tenha sido atendido. O treinador se recusou a responder, alegando "confidencialidade". Há, porém, quem garanta que a cláusula é válida até o fim deste ano.

Sampaoli foi contratado pelo Santos no fim de dezembro de 2018, após a saída de Cuca, e assumiu o comando do clube em janeiro. De lá para cá, foram 65 jogos e um retrospecto bastante positivo: 35 vitórias, 15 empates e 15 derrotas, um aproveitamento de 61,5%.