Com aval do STJD, Peres volta a exercer suas funções legais no "Peixe"

José Carlos Peres conseguiu através do tribunal "efeito suspensivo" de sua pena de 15 dias de gancho em julgamento realizado pelo STJD por causa de declarações contra arbitragem do Brasileirão.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Vitória de José Carlos Peres - presidente do Santos, nos tribunais. O mandatário santista teve uma grande vitória nesta última terça-feira em seu pedido de efeito suspensivo para reassumir as suas funções à frente do clube; lembrando que na última sexta-feira, ele havia sido punido com 15 dias de gancho em julgamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva - STJD por causa de declarações contra a arbitragem do Campeonato Brasileiro, onde o mesmo havia "insinuado" favorecimento ao Flamengo e ao uso do VAR.

Sem uma nova data definida para um novo julgamento, Peres por hora está liberado para exercer as suas funções no âmbito esportivo à frente do Santos - ele e seus assessores jurídicos defendem que ele sempre pôde atuar administrativamente, mesmo com a punição imposta pelo tribunal.

Em nota, o STJD publicou o seguinte a respeito do pedido feito pelos advogados de José Carlos Peres, em relação ao efeito suspensivo da pena imposta pelo tribunal:

"Relator sorteado para acompanhar o processo envolvendo o presidente do Santos, José Carlos Peres, o Auditor José Perdiz deferiu o pedido de efeito suspensivo ao mandatário na noite desta terça, dia 12 de novembro. Com o deferimento, Peres está liberado para exercer suas atividades no clube até o julgamento do recurso no Pleno do STJD do Futebol", anunciou o STJD.

Orlando Rollo e Peres em uma reunião do Conselho Deliberativo do Santos.
Orlando Rollo e Peres em uma reunião do Conselho Deliberativo do Santos.

Com a suspensão de Peres, Orlando Rollo tentou agir como presidente na última segunda-feira. Depois de anunciar o seu retorno a Vila Belmiro, o dirigente que foi eleito para a vice-presidência, tentou realizar algumas mudanças no Comitê de Gestão, trocando quatro membros. Porém, Peres assegurou ignorar as ações do vice e afirmou ter sido vítima de uma "tentativa de golpe". O efeito suspensivo do STJD, portanto, encerra qualquer impasse jurídico sobre a validade das decisões de Rollo.

Vale lembrar que Orlando Rollo estava licenciado da vice-presidência desde o início do ano, mas retomou suas funções depois de protocolar documento no Conselho Deliberativo do Santos. E o retorno do vice-presidente do "Peixe" se deu após os membros do conselho considerarem ilegal - em reunião realizada na semana passada, a portaria do presidente do clube que destituía o vice das suas funções; o que na verdade havia o levado a se afastar de suas funções - aqui falando de Rollo.

Entenda o caso:

A chapa composta por Peres e Rollo foi eleita para um mandato até o término de 2020 no final de 2017. Em 2018, eles romperam durante o processo de impeachment do presidente, que acabou sendo mantido no cargo em votação com a participação dos sócios e desde então estão em "pé de guerra" pelo poder.

Mais sobre: santos peres stjd
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal