Presidente do Conselho Deliberativo do Santos confirma votação de impeachment de Peres

José Carlos Peres é denunciado em duas ações que podem resultar em sua cassação como presidente do Santos.

Por
Compartilhe

Ação movida pelo presidente do Santos – José Carlos Peres na Justiça a respeito do cancelamento da votação do impeachment ainda não tem uma decisão da mesma, com isso o processo ainda segue confirmado para o próximo sábado, segundo informações do presidente do Conselho Deliberativo do Peixe.

Marcelo Teixeira – presidente do Conselho Deliberativo do Santos confirmou nesta manhã de quinta-feira que o processo de impeachment de José Carlos Peres segue normalmente, assim sendo, os sócios em assembléia-geral decidirão o futuro do presidente do clube no final de semana.

Marcelo Teixeira - presidente do Conselho Deliberativo do Santos.Marcelo Teixeira - presidente do Conselho Deliberativo do Santos.

Mesmo com uma denúncia de que o empresário de jogadores Henrique Oliveira havia pago as dívidas de alguns sócios com o clube, instruindo os mesmos a votarem a favor do impeachment, o mesmo não atrapalha em nada o processo, como declarou o presidente do Conselho Deliberativo em entrevista coletiva no dia de hoje.

“A denúncia em nada atrapalha o processo de votação do impeachment do presidente do clube José Carlos Peres. Não temos o conhecimento de quem parte esse tipo de vínculo, assim sendo, não temos como saber se são para prejudicar A ou B. O Conselho está realizando seu trabalho, cuidando de todos os pormenores. A tendência é que não haja nenhum tipo de problemas”, destacou Teixeira.

Na mesma coletiva Marcelo Teixeira foi perguntado sobre um possível impedimento do processo por parte da Justiça, onde o mesmo declarou que:

“Se forem identificadas em tempo da mesa quanto do conselho, nós tomaremos as medidas cabíveis e necessárias”, se referindo que o Conselho está preparado para derrubar qualquer liminar que venha atrapalhar a votação.

José Carlos Peres é denunciado em duas ações que podem resultar em sua cassação como presidente do Santos – em um dos processos, ele é acusado de ser sócio de uma empresa de agenciamento de jogadores, que por lei é proibido pelo estatuto do clube.

 

Comentários