Impeachment contra presidente do Santos é acolhido e advogados prometem recorrer

O presidente do Santos é acusado de cometer duas irregularidades em sua atual gestão.

Por
Compartilhe

Após os conselheiros do Santos aprovarem os dois pedidos de impeachment do presidente – José Carlos Peres, seus advogados prometem recorrer na justiça sobre a decisão da sessão desta última segunda-feira. A informação foi confirmada pelo advogado – Luciano Tadeu Telles.

Telles afirmou que a votação dos pedidos de impeachment em relação ao mandatário do Santos foram realizada em desacordo com o estatuto do clube.

“Pelo que diz o estatuto, é preciso ter votos de dois terços dos presentes acolhendo os pedidos. Nas duas votações, esse quórum não foi alcançado, pois havia 248 presentes e eram necessários 166 votos. Mas apenas 165 votos foram escrutinados na primeira votação e 164 na segunda. De acordo com o estatuto, os pedidos não poderiam ser aprovados. Iremos agora estudar e tomar a medida mais adequada para contestar essa decisão”, declarou um dos representantes judiciais de José Carlos Peres.

José Carlos Peres - presidente do Santos.José Carlos Peres - presidente do Santos.

O representante do presidente do Peixe ainda declarou que o compromisso de Peres é com o clube e que o resultado obtido nas votações do Conselho Deliberativo não reflete a realidade.

“Na contagem dos votos, os pedidos foram rejeitados. Em primeiro lugar, diante dos acontecimentos, iremos estudar a questão. Está em jogo a presidência de um dos maiores clubes do mundo e com isso iremos tomar todas as decisões cabíveis. Os interesses do presidente convergem para proteger os interesses do Santos. A assembléia fere o estatuto do clube. O presidente irá enfrentar a questão da melhor forma possível”, declarou Telles.

O presidente do Santos é acusado de cometer duas irregularidades – a primeira se refere a uma portaria publicada por Peres, que definiu que todas as contratações realizadas pelo “Peixe” deveriam ser determinadas pelo próprio presidente. A mesma ignora o Comitê de Gestão; principal órgão administrativo do clube.

Já a segunda, é em relação a José Carlos Peres ser sócio de uma empresa de agenciamento de jogadores, o que segundo o estatuto do Santos, é proibido. Vale ressaltar que Peres atualmente não tem mais nenhum vínculo com a mesma.

Comentários