Nada feito! Pelo menos não foi desta vez que o Conselho Fiscal do Santos autorizou a venda do zagueiro Lucas Veríssimo ao Benfica, de Portugal. Sim, novamente a negociação do "Peixe" com o time português pelo jogador aqui em questão foi vetada pelo Conselho Fiscal em reunião do Conselho Deliberativo, nesta última quinta-feira.

Nem mesmo os argumentos do presidente Orlando Rollo convenceram os conselheiros, que sequer colocaram em votação a proposta de venda de Lucas Veríssimo ao Benfica.

Proposta portuguesa

A nova proposta oferecida pelo Benfica ao Santos, assim como já declaramos, se quer foi levada em consideração pelos conselheiros nesta última quinta-feira, onde o clube português ofereceu o pagamento da primeira das cinco parcelas logo após a assinatura de contrato com o jogador; dividindo as outras quatro em agosto de 2022, 2023, 2024 e 2025 - por 100% dos direitos econômicos do zagueiro - mas tal proposta fora novamente rejeitada pelo Conselho Fiscal, que recomendou a não concordância com a nova oferta, acreditando que o jogador possa valer mais dos que apenas 6,5 milhões de euros.

E agora?

Com a não venda autorizada de Lucas Veríssimo ao Benfica, o Santos que não esconde a sua situação financeira e contava com a negociação do jogador para poder equilibrar suas finanças, terá que buscar outras soluções para resolver esse problema; algo a ser estudado pela direção que acreditava na venda do defensor para a "salvação" do clube.

Outras propostas rejeitadas

Como o Santos tem sua eleição presidencial marcada para esse mês, toda e qualquer venda de jogadores tem que obrigatoriamente passar pelo "crivo" do Conselho Deliberativo e Fiscal, assim, o mesmo analisou outras propostas por outros atletas, com fora o caso do zagueiro Sabino - que atualmente está emprestado ao Coritiba e conta com uma oferta do Kashiwa Reysol, do Japão, que ofertou por esse jogador algo em torno de US$ 700 mil, também rejeitado pelo conselho em questão.