A aprovação da venda do zagueiro Lucas Veríssimo - do Santos para o Benfica - de Portugal foi adiada pelo "Peixe" nesta última terça-feira, durante reunião do Conselho Deliberativo, que não votou a questão em plenário do órgão, uma vez que o Conselho Fiscal já havia reprovado.

O que diz o ESTATUTO do clube

O Estatuto do Santos prevê que toda negociação necessita passar pelo aval do Conselho Fiscal e do Conselho Deliberativo durante os últimos três meses de gestão. Assim sendo, nesta última terça-feira o presidente em exercício - Orlando Rollo passou o dia inteiro tentando convencer os conselheiros a aprovarem a negociação junto ao clube português - algo que por hora fora negado.

Benfica oferece 6,5 milhões de euros

O clube português comandado pelo técnico Jorge Jesus teria oferecido ao "Peixe’ 6,5 milhões de euros em parcelas anuais, tendo inclusive o Santos anunciado uma instituição belga para antecipar os valores a receber, segundo controller Roberto Rabelato. Esse valor a ser repassado de imediato ao clube seria de 5,1 milhões de euros - R$ 32 milhões, já descontando os 15% de taxa cobrada pela operação e outros encargos.

Os valores recebidos pela negociação serviriam para cobrir pendências com o elenco, no entanto, sem a aprovação dos Conselhos, essa negociação encontra-se paralisada até segunda ordem.

O Santos deve atualmente quatro meses de direitos de imagem a seus atletas, mais parte dos salários que não foram pagos durante a paralisação por conta da pandemia e premiação dos jogadores - como os famosos "bichos".