Após o "não" ao Corinthians, o técnico Renato Portaluppi concedeu na tarde desta última sexta-feira, uma entrevista para falar sobre a recusa da oferta do "Timão" para comandar a equipe.

A mesma foi durante um evento de revitalização da "Calçada da Fama do Maracanã", onde Renato era um dos convidados.

"Foi mais ou menos a conversa que eu tive com o presidente do Santos. Eu saí do Grêmio porque estava há muito tempo longe da minha família, foram mais de cinco anos lá no Sul, pandemia, mal dava para vir na ponte aérea.

Agora teve interesse do Corinthians, foi basicamente à mesma conversa que tive com o presidente. Agradeço o carinho dos dois clubes, as duas torcidas me trataram muito bem. Não é que eu não quisesse trabalhar, mas pra quem ficou praticamente cinco anos só em ponte aérea, longe da família", declarou o profissional, que completou:

"Achei melhor neste momento curtir minha família, a praia que eu gosto, o chope que eu gosto de beber, meus amigos, fazer as coisas que eu sempre gostei de fazer. Estou trabalhando há quase cinco anos direto, é até bom para você descansar um pouco a cabeça. Pode ter certeza que eu vou sentir saudade e daqui a pouco estarei de volta".

Nesta mesma coletiva, o ex-treinador do Grêmio declarou que tem preferência para comandar um time no Rio de Janeiro, no entanto, não fechou as portas para os demais estados:

"No momento quero curtir a família. Lógico que, se um dia eu tiver que voltar a trabalhar no Rio de Janeiro, seria melhor em termos de que estaria próximo da minha família, que mora aqui há mais de 30 anos. Tenho meus negócios, minha família, o que tenho está no Rio. Seria unir o útil ao agradável. Mas eu sou profissional e, daqui a pouco, quando eu cansar, se aparecer propostas, vou estudar todas com carinho. Quando eu cansar e sentir saudades, daqui a pouco eu volto", finalizou.

Sem emprego e propostas

Renato está desempregado desde o último mês, quando foi demitido pelo Grêmio após não ter conseguido levar o Tricolor à fase de grupos da Libertadores; clube que comandava desde 2016.

Desde então, Renato Portaluppi já recebeu pelo menos duas propostas oficiais para voltar, sendo uma do Santos e outra do Corinthians.