Mesmo tendo a Comissão de Ética da Confederação Brasileira de Futebol postergado o período de afastamento de Rogério Caboclo, o mesmo prometeu reassumir a função de presidente da entidade nesta próxima sexta-feira - 03 de setembro.

A Comissão acima citada manteve o mandatário afastado de suas funções dentro da CBF por mais 60 dias, a mesma alega que esse período é para melhor apurar o caso de denúncia de assédio moral que foram apresentados pela diretora de TI da entidade - Fernanda França; processo esse que está em curso.

Por meio de nota, Caboclo reclamou por estar sendo "impedido de retornar ao cargo que é seu por direito", prometendo reassumir as suas funções na próxima sexta-feira, onde o mesmo ainda alega que o novo afastamento "não possui respaldo legal".

Confira um trecho desta nota

"O presidente da CBF, Rogério Caboclo, lamenta mais uma manobra realizada pelos aliados de Marco Polo Del Nero, ex-dirigente banido do futebol por corrupção, para impedi-lo de voltar ao cargo que é seu por direito. A prorrogação do afastamento de Caboclo pela Comissão de Ética não tem respaldo legal e, portanto, é sem efeito. O Presidente da CBF reassumirá o cargo na próxima sexta-feira, quando acaba o prazo do afastamento anterior. A defesa de Rogério Caboclo tomará todas as medidas cabíveis para garantir que o comandante da CBF reassuma suas funções e volte a imprimir o rumo que a entidade necessita em direção a uma gestão moderna e livre de corrupção.

Vale lembrar que na última reunião da Comissão de Ética da CBF a mesma afastou denúncia de assédio sexual por parte do dirigente aqui citado nesta matéria.