Por erros coletivos e individuais, Ferrari já perdeu mais de 100 pontos

Novamente a Ferrari viu sua chance de se aproximar nos pontos da Red Bull diminuir em uma corrida “ganha”. Desta vez, no GP da França, em Paul Ricard, Charles Leclerc bateu sozinho enquanto liderava. Por outro lado, Carlos Sainz largou na 19ª colocação e por erro na estratégia da equipe Maranello, acabou tirando o pódio do piloto.

Erros individuais da Ferrari e de seus pilotos

Decerto, erros bobos entre seus pilotos e as estratégias da equipe estão deixando no colo de Max Verstappen o título de Campeão Mundial de Pilotos e da Red Bull Racing no Mundial de Construtores. Ao todo, já são 131 pontos de prejuízo para Leclerc, Sainz e a Ferrari.

Por outro lado, os Touros Vermelhos não tem cometido erros. Os problemas que causaram as quebras no carro de Max Verstappen no Bahrein e na Austrália foram solucionados. Desde então, a equipe só cresceu. Além disso, o holandês não deixou de marcar pontos em corrida alguma que terminou.

Começo da temporada de F1

Leclerc começou o ano muito bem, com duas vitórias e um segundo lugar nas três primeiras corridas. Enquanto isso, Verstappen sofria com as quebras de seu RB18.

Entretanto, os erros começaram já na Emilia-Romagna, em Imola. O monegasco vinha em terceiro com pneus slicks na pista úmida quando cometeu um erro bobo na Variante Alta, rodou, danificou sua asa dianteira e caiu para a sexta posição. Perda de sete pontos no campeonato.

Na Espanha, o motor de Leclerc quebrou quando ele liderava com folga a corrida – menos 25 pontos. Depois, em Mônaco, um erro de estratégia da Ferrari jogou o piloto de primeiro para quarto – perda de 13.

No Azerbaijão, outra vez a unidade de potência abriu o bico: prejuízo de mais 25. A tática voltaria a dar errado na Inglaterra, quando Leclerc não foi chamado para trocar os pneus na entrada do safety car perto do fim e caiu de primeiro para quarto.

Mais 13 pontos jogados no lixo. E por último, mais um erro do vice-líder do campeonato causou o abandono na França quando liderava. Prejuízo inestimável na luta pelo título.

“Obviamente, é extremamente frustrante. Sinto que estou no nível mais alto da minha carreira desde o início da temporada, mas não faz sentido jogar nesse nível alto se estou cometendo esses erros. Acho que são 32 pontos no geral (que perdeu com erros), 25 hoje. Acho que era provável que ganhássemos porque fomos rápidos. E sete em Ímola, com meu erro. “Então, no final do ano, vamos contar de volta. E, se faltarem 32 pontos, então eu sei que está vindo de mim e não merecia o campeonato. Mas para a segunda metade do campeonato, eu preciso estar no topo dessas coisas se eu quiser ser um campeão mundial. Não, não foi um problema mecânico, ou pelo menos ainda não sei se foi. Mas não parece que foi. Foi apenas um erro””, lamentou o ferrarista.

Foto Destaque: Divulgação / F1 / AFP

Olá, meu nome é Bruno Gabriel, tenho 21 anos e estudo Jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo. Pretendo seguir na área de esportes, é um sonho desde criança. Espero [...]