Edinson Cavani definitivamente está fora do Paris Saint-Germain - pelo menos é essa a informação de momento vinda da França, onde o atleta na bronca não estendeu seu vínculo até agosto deste ano para encerrar a temporada no clube.

Muito disso se deve a fatos ocorridos em um passado recente, quando o PSG não liberou o atacante uruguaio para acertar sua transferência para o Atlético de Madrid - em janeiro deste ano. Desta forma, o jogador teria sofrido calado e agora dado a resposta aos dirigentes franceses.

Praticamente acertado com os "Colchoneros", Cavani que terá seu vínculo com o Paris Saint-Germain encerrado no próximo dia 30 de junho, estará livre para se transferir para o clube espanhol assim que a janela de transferências se abrir. Sem um acerto no prolongamento de seu contrato com o atual clube, Cavani não irá voltar a atuar na Champions League pelo time francês.

Cavani terá seu contrato finalizado com o PSG no final deste mês - imagem: arquivo
Cavani terá seu contrato finalizado com o PSG no final deste mês - imagem: arquivo

Assim, além de ficar livre em pouco menos de 10 dias de seu contrato com o PSG, Cavani também ficará livre de um possível confronto com seu provável time na próxima temporada - lembrando que Atlético de Madrid e PSG já estão classificados as quartas de final da Champions League e poderão vir a se enfrentar nas fases que ainda restam para encerrar a competição.

Com 301 jogos pelo clube francês, Cavani é o maior artilheiro da história do PSG, com 200 gols marcados - no mesmo ele ajudou a conquistar 21 títulos, sendo o jogador ídolo da torcida parisiense entre os atletas do atual elenco - o que deixa esses torcedores chocados com sua saída prematura.

Para repor a saída de Cavani, o PSG já tem um nome acertado - trata-se do argentino Icardi - da Inter de Milão, que custará aos cofres franceses algo próximo a 50 milhões de euros. Vale lembrar que Icardi já está no elenco do time francês, onde nesta temporada atuou por empréstimo. Com a perca de Cavani, a direção do PSG agora passa a cuidar das renovações de Mbappé e Neymar, que tem contrato até 2022.