Neymar critica PSG por jogo ruim diante do Borussia Dortmund

O atacante brasileiro disse ser do clube a responsabilidade de ter ficado tanto tempo parado e com isso a falta de ritmo, que foi nítida diante do time alemão.

Por Müller
Compartilhe

A noite ruim do Paris Saint-Germain com a derrota para o Borussia Dortmund por 2 a 1, na Alemanha, pelo confronto de ida das oitavas de final da Champions League, foi além do gramado. O camisa 10 do PSG atacou o clube por entender que esteve prejudicado fisicamente por ficar 18 dias sem atuar. O brasileiro fez o gol do PSG, mas sofreu críticas da mídia francesa com o desempenho tido como abaixo da média.

No entanto, essa mesma imprensa elegeu de maneira unânime o treinador Thomas Tuchel como maior vilão. Neymar não teceu críticas diretas ao técnico por sua ausência nos últimos jogos, mas expôs sua insatisfação para os que tomaram as decisões no clube de uma maneira geral. O único confrontado sobre o assunto publicamente foi o treinador, que se esquivou e disse apenas ter cumprido ordens médicas .

A deficiência física de Neymar na partida foi nítida. As jogadas de mano a mano eram de pouco sucesso, chegando inclusive a perder disputa de corrida pela bola com adversários que estavam mais distante na jogada. Ao fim da partida, o brasileiro deixou claro que o problema aconteceu por culpa de quem administra essa situação dentro do clube.

Neymar ataca o PSG por sua escolhas.
Neymar ataca o PSG por sua escolhas.

"Isso (o veto) foi coisa decidida pelo clube e médicos e tive que acatar. Tive várias discussões, e não curti o que propuseram, mas respeitei. Isso acaba sendo ruim para mim e companheiros", destacou Neymar em entrevista ao Esporte Interativo.

A decisão do clube francês em poupar Neymar aconteceu depois que o atacante brasileiro sofreu uma fissura na costela no dia 1 de fevereiro, na vitória por 5 a 0 contra o Montpellier. Para ele, sem dores, não havia problema em atuar nos 3 jogos (Lyon, Dijon e Amiens) que antecederam o confronto contra o Borussia Dortmund.

Já o site "UOL Esporte" relatou a irritação do camisa 10 e seu entorno. A cisma era de que sofria punição do clube por ter feito festa de aniversário, em Paris, dia 2 em antevéspera de jogo (dia 4 de fevereiro o PSG encarou o Nantes). Lembrando que dirigentes do PSG ficaram irritados por conta da realização do evento.

"Eu tive uma fissura, mas não era nada que me impedia de jogar. Já dava para atuar contra o Lyon, mas adiaram e adiaram novamente. Entendo o medo que o clube sofre, mas não pode ser assim. Só acaba sofrendo o jogador. Para mim foi complicado jogar uma partida como essa (contra o Dortmund) sem intensidade, sofrendo. Se tivesse boas condições físicas tenho certeza que seria melhor", complementou Neymar.

Depois da derrota diante do Borussia Dortmund, nesta última terça-feira, pelas oitavas de final da Champions League - jogo de ida, Thomas Tuchel voltou a ser confrontado sobre a decisão de poupar Neymar por 18 dias.

"Isso não era uma decisão minha, e sim médica" disse.

O jornal francês - "L’Équipe", assim como a grande maioria da imprensa local atribuiu ao treinador Tuchel grande parte do insucesso de Neymar na partida.

"Foi um time perdido. Com uma missão clara de dar a bola a Neymar e esperar seus atos. Um PSG que não apresentou alternativas", criticou a mídia esportiva francesa.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal