Em entrevista ao jornal L'Equipe, empresária de Rabiot faz duras críticas ao PSG, citando Neymar

Para a empresária do volante, existe dentro do clube francês dois pesos e duas medidas, visto que Neymar foi liberado para fazer tratamento de sua lesão no Brasil e foi visto no carnaval, já seu filho por chegar atrasado num treino foi afastado do time.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Rabiot que está em vias de fatos de deixar o Paris Saint-Germain, teve seu lado defendido por sua agente e mãe - Verónique Rabiot, onde ela cutuca o clube francês usando Neymar, quando diz que "há jogadores que podem ir ao carnaval no Rio".

Verónique Rabiot fez duras críticas ao clube pelo tratamento dado ao filho, que está afastado do grupo principal desde que se negou a renovar seu contrato com o PSG, declarando que o volante é um "prisioneiro - um refém".

Verónique Rabiot - mãe e empresária do volante Adrien Rabiot, do PSG.Verónique Rabiot - mãe e empresária do volante Adrien Rabiot, do PSG.

"Adrien é um prisioneiro. Um refém do PSG", essas são as palavras vindas da agente do volante francês, que não aceita a forma como o clube em questão está agindo com ele. Em entrevista ao jornal francês "L?Equipe", Verónique não poupou palavras para "esculhambar" a direção do Paris Saint-Germain, mesmo não citando nomes.

"Há jogadores que faltam por um cochilo de seis minutos e outros que estão machucados, mas podem ir para a festa do outro lado do mundo, no carnaval do Rio...". Aqui a empresária de Rabiot se refere à Neymar, que foi liberado por 10 dias para ir ao Brasil com a intenção de realizar um tratamento para a sua lesão e acabou sendo visto fazendo festa no carnaval.

Ao comentar sobre o "cochilo de seis minutos" - de seu filho, a mãe de Rabiot faz menção ao episódio que deu início a crise de relação entre o jogador e o clube, no final de outubro de 2018. Na ocasião o volante chegou atrasado para um treinamento e acabou sendo multado e levado ao banco de reservas pelo técnico Thomas Tuchel, assim como Mbappé, que também chegou atrasado.

Capa do jornal LCapa do jornal "L'Equipe".

Para Verónique, ele apenas chegou atrasado e não cometeu nenhuma indisciplina - sua má conduta foi ter dormido um pouco a mais do que deveria.

"Ele estava dormindo. Ele não chegou atrasado ao treino porque estava fazendo compras ou algo assim. Ele não acordou na hora. Mas ninguém foi bater na sua porta. Nós dizemos que queremos dar poderes aos jogadores... as regras mudaram no PSG. São dois pesos e duas medidas", declarou ela.

Continuando com sua crítica ao clube francês, ela destaca o seguinte:

"Essas pessoas não sabem o ritmo de jogadores de futebol? Quando um atleta joga, que é seu trabalho, ele tem um ritmo de treinamento. Aí nada acontece para o Adrien. Ele é criticado por sair (boates) quando não está mais jogando pelo clube. É contraditório. Não é possível aprisioná-lo. Ele tem que soltar as suas energias, que não usa mais. E liberar dessa maneira", completou a sua mãe.

A empresária e mãe do volante acredita que ele está no momento sem escolhas a não ser esperar pelo fim do seu contrato e entende que o jogador foi punido injustamente, uma vez que não tem chances de trabalhar normalmente no clube.

Vale lembrar que Rabiot não atua desde dezembro do ano passado e assim deverá permanecer até o fim de seu vínculo com o Paris Saint-Germain, em junho deste ano, quando estará livre para assinar com qualquer clube - esse clube deve ser o Barcelona, ao qual já teria um pré-acordo!

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal