Nem A, nem B, nem C, essa é a história atual do Palmeiras na busca por um novo comandante técnico desde a demissão de Vanderlei Luxemburgo. Após ir atrás de nomes estrangeiros como: Miguel Angel Ramírez, Sebastian Beccacece e Heinze - que tem sua vinda complicada; o "Verdão" deverá mesmo partir para um "plano D".

Muito disso se deve a exigência de Heinze, que mesmo desempregado, pediu uns dias para analisar a fundo o elenco palmeirense, isso sem falar em outras exigências que a direção do Palmeiras não quis revelar e por esse motivo pode estar praticamente fora dos planos do time brasileiro.

Plano D

Desta forma a direção do "Verdão" já discute uma espécie de "plano D" e os nomes que estão em pauta a partir de então, passam a ser os seguintes: Ariel Holan - Universidad Católica e Bruno Lage, ex-Benfica.

Obviamente que o clube aqui em questão também tem nomes de treinadores brasileiros nesta lista, mas por hora tenta um técnico de fora do país, seguindo uma linha utilizada por alguns clubes da elite nacional, como, por exemplo: Internacional, Flamengo e Atlético-MG, que ocupam as três primeiras colocações no Campeonato Brasileiro de 2020.

O Palmeiras que neste domingo encara o Atlético-GO fora de casa, pela 18ª rodada do Brasileirão, às 16h, terá sob seu comandando técnico o interino Andrey Lopes, até a direção conseguir fechar com um profissional traçado em seu perfil.