Em time grande não tem moleza, não! Assim é a vida do Palmeiras - atual vice-líder do Brasileirão que mesmo após empatar em 1 a 1 diante do Atlético-MG, em duelo válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, teve protestos por parte de seu torcedor, que reclamou da direção, chamando ainda o time de "pipoqueiro".

A bronca é pela distância que o clube paulista ficou do líder Flamengo após o término de mais uma rodada - cinco pontos de distância e o próximo compromisso do "Verdão" não será nada fácil, visto que encara no meio da semana o Santos; terceiro colocado na tabela de classificação, na Vila Belmiro. O Flamengo joga apenas na quinta-feira, diante do "Galo Mineiro", no Maracanã - será que desta vez o Atlético-MG irá "roubar" uns pontinhos do líder do Brasileirão?

Os torcedores presentes nos portões da sede do Palmeiras se manifestaram descontentes, principalmente em cima de Mauricio Galiotte - presidente do clube e do seu dirigente - Alexandre Mattos, além claro, de chamarem o time de "pipoqueiro".

Cerca de 30 a 40 torcedores ficaram a espera do time e dos dirigentes no portão principal de saída da Arena Palmeiras, neste último domingo, mas sem sorte, pois os alvos dos protestos saíram por outro acesso ao estádio; o que não gerou maiores confusões.