Após eliminação na Libertadores para o Grêmio, nesta última quarta-feira, a maior torcida organizada do Palmeiras através de uma nota oficial em uma de suas redes sociais manda um recado a direção do clube.

Estamos aqui falando da "Mancha Verde", que atacou nominalmente o presidente do clube - Mauricio Galiotte e o diretor executivo - Alexandre Mattos; isso além de mandarem um recado aos jogadores e comissão técnica.

"Ninguém morreu, né? Mauricio Galiotte, a falta de hombridade dos jogadores é o reflexo da sua personalidade como homem. Você não é o presidente do Palmeiras. Você, por acaso está ocupando o cargo. E Mattos não será esquecido. FORA, ladrão!", diz parte da nota da torcida organizada em questão.

A frase de início, onde diz: "Ninguém morreu", é uma referência direta ao treinador Felipão, que disse exatamente isso após a derrota do Palmeiras diante do Internacional, pela Copa do Brasil e culminou com a eliminação da equipe também nesta competição.

Para a "Mancha Verde"; eles já haviam alertado que isso iria ocorrer, onde eles declararam que o "time não deu liga" e que não existia planejamento para esse ano.

"Esse elenco não é o pior, ele simplesmente não é essas coisas que muitos exaltam. Na verdade, esse elenco é sem vergonha", descreve ainda a torcida.

Para finalizar, a organizada do Palmeiras destacou que estará presente no jogo diante do Flamengo, pelo Brasileirão, no próximo domingo, no Maracanã, "mas não pelos jogadores, treinador ou dirigentes, mas pela camisa, pelo Palmeiras" e ainda alertou a direção: "Se preparem... serão cobrados até 31/12/2019. O ano está perdido!".