De acordo com as informações vindas de Paris, o clube da capital francesa enviou nesta última sexta-feira dois médicos ao Brasil para avaliar a "real" situação de Neymar, que se lesionou na última semana em uma partida amistosa da seleção brasileira e acabou sendo cortado da Copa América na última quinta-feira.

Em viagem ao Brasil estão os médicos Laurent Aumont (funcionário do clube) e Gérard Saillant (Dr. especialista). Os dois chegarão ao Rio de Janeiro neste sábado e definirão como será a abordagem para a recuperação do craque brasileiro, que rompeu um ligamento do tornozelo direito no amistoso diante do Catar, na última quarta-feira à noite. Na visita dos médicos também será definido o prazo que Neymar levará para voltar aos gramados.

Para ex-médico do PSG - Alain Simon, que também trabalhou na seleção francesa, o atacante poderá ficar mais de seis meses fora dos gramados e ainda refere-se a uma preocupação por possível reflexo no quinto metatarso, que deixou o jogador de fora dos gramados duas vezes nos últimos dois anos.

"Quando falamos de um estiramento do ligamento do tornozelo, são três semanas de imobilização. Mas se houver uma ruptura, o período de parada é pelo menos seis semanas. A opção cirúrgica é mais rara, e só diz respeito a casos de entorse muito grave, então é uma questão de ver nas imagens se esta nova lesão não refletiu no quinto metatarso. Se for assim, uma cirurgia será inevitável. E aí a indisponibilidade pode ir até quatro meses ou mais", declarou ele.

Se realmente isso tudo se confirmar e Neymar ficar de fora dos gramados por seis semanas no mínimo, o atacante estaria disponível para jogar apenas na terceira semana de julho, quando o seu clube já estará reunido em pré-temporada. O Paris Saint-Germain já tem um jogo amistoso marcado para o dia 26 de julho, diante do Espanyol, em um torneio na China.