Como é a vida de um ser humano! A vida é uma caixinha de surpresa e como diz o ditado: a vida da voltas! Essa é a verdadeira história de um dos finalistas da NBA - aqui falamos de Jimmy Butler, que após ter sido abandonado pelo pai quando ainda era bebê, aos 13 anos de idade foi expulso de casa pela mãe e passou a viver na rua, até se reencontrar no esporte.

Amigo de Neymar e admirador do samba, o camisa 22 do Miami Heat antes de chegar a franquia, no ano de 2019, causou burburinho por seu temperamento difícil na NBA. Sem aceitar ser um simples jogador da Liga, ele sempre pôs uma barreira para atingir e depois de passagens por Chicago Bulls, Minnesota Timberwolves e Philadelphia 76ers, o jogador finalmente se viu num time certo.

Sem muito alarde, conquistou seu espaço como um dos principais jogadores da franquia e hoje surge como o grande responsável pelo Miami Heat estar disputando sua primeira final na NBA, em sua era pós LeBron James - que hoje é adversário.

O atleta aqui em questão é um dos grandes responsáveis por recolocar o time de volta na disputa da final do melhor basquete mundial, uma vez que o Los Angeles Lakers vencia a série decisiva por 2 a 0 até o último sábado. No entanto, no último domingo, com um Heat muito desfalcado e já "batido" por muitos, Butler explodiu mais uma vez nesses playoffs para garantir uma reação de seu time e renovar as esperanças em uma possível conquista da temporada. Com um triplo-duplo de 40 pontos, somente ele, Jerry West e LeBron conseguiram tal façanha.

Sua vida

Para chegar a esse patamar, Butler teve que enfrentar a superação em sua vida. Como já revelamos no início desta matéria, o mesmo não teve uma infância fácil, o hoje craque do Miami Heat encontrou diversos obstáculos em sua trajetória na vida.

Nascido na região metropolitana de Houston - no Texas, com uma infância de abandono, tudo indicava que sua vida adulta está fadada ao fracasso, porém, mesmo sem teto e abandonado por seu pai quando bebê e por sua mãe no início da adolescência por motivo banal (sua aparência), Butler passou a contar com a ajuda e a boa vontade de vizinhos e amigos, vindo a pular de casa em casa e então, sendo forte para não passar fome, encontrou no basquete uma válvula de escape para a realidade vivida até ali.

Aos 17 anos, conseguiu uma vaga no time da escola de Tomball, onde foi o escolhido pela mãe de um amigo seu que o adotou - Michelle Lambert - mãe de sete filhos, mas que não fechou as portas para o jovem menino.

Capitão da equipe de basquete da escola e a maior figura esportiva de uma cidadezinha de apenas 10 mil habitantes, Butler ao final do colegial partiu para uma universidade comunitária, onde logo chamou a atenção de algumas tradicionais faculdades que tinham em seu currículo o basquete universitário - como Kentucky, Mississipi State e Clemson. Mas esse partiu para a Universidade de Marquette - através de sua mãe Michelle, que o instruiu a aceitar uma bolsa de estudos nesta mesma. Nesta faculdade, o basquete aflorou de vez na vida do jovem Butler, onde em 71 partidas, o jogador aqui em questão tinha uma média de 15.2 pontos, 6.2 rebotes e 1.4 roubos de bola - com 50,7% de aproveitamento nos arremessos.

Em 2011, em uma seletiva de 30 jogadores, chegou o dia tão esperado, onde em um draft da NBA, em New Jersey, ouviu do comissário da Liga - David Stern, ser chamado pelo Chicago Bulls na última posição da primeira rodada.

No Bulls, sob o comando de Tom Thibodeau, disputou 42 partidas, com apenas 9 minutos por jogos, onde em 2015 com muita dedicação e trabalho ganhou o prêmio de jogador que mais havia evoluído na temporada. Em 2017, após bater de frente do com técnico da franquia na época, acabou trocando de time e partiu para o Minnesota Timberwolves, onde permaneceu até partir para o Philadelphia 76ers, em 2018; após novamente ter batido de frente com seu treinador e alguns companheiros de equipe. Já em 2019, mais uma troca de time, chegando finalmente ao Miami Heat, onde encontrou um grupo de jogadores e uma diretoria que pensavam como ele e o resultado estão sendo esse que estamos vendo na grande campanha da franquia nestes playoffs até a grande final.