O Los Angeles Lakers está de volta a uma final de conferência depois de 10 anos e graças a uma de suas maiores estrelas; estamos falando de LeBron James, que logo após conseguir tal façanha, destacou o seguinte: "Sempre fui um vencedor. Eu assumo essa responsabilidade também".

A vitória que garantiu os Lakers na final da Conferência Oeste foi a de números 164 do astro em playoffs na Liga Norte-Americana de Basquete - NBA, onde ninguém na história deste torneio venceu mais jogos de mata-mata do que ele. Tal histórico joga em seus ombros a responsabilidade de levar a franquia carente de títulos ainda mais longe, e não pense que isso o incomoda, bem pelo contrário, como ele próprio destaca.

"Eu entendo os torcedores dos Lakers e o que eles sentiram ou que passaram na última década, de não estar na pós-temporada ou não brigar por títulos. Eu assumo essa responsabilidade também. Estou feliz por ser capaz de ser parte de um pouco disso e do resto do meu clube e da comissão técnica e de todos que fizeram esse sacrifício de tentar nos levar de volta, fazer com que essa franquia voltasse a competir por um torneio, o que fizemos o ano todo", afirmou o astro.

Os Lakers irão decidir o grande finalista da NBA em sua conferência com o vencedor entre Denver Nuggets e Los Angeles Clippers, que atualmente estão empatados na série em 3 a 3.

Aos 35 anos, LeBron diz não sentir o peso de levar uma camisa tão pesada quanto a dos Lakers, muito pelo contrário; o astro diz saber lidar com a pressão e com a responsabilidade.

"Eu sei que vem com isso. Eu sei que é o meu nome, minha estatura e o que eu fiz nesta liga sempre que decido entrar em uma franquia. Eu sei que vem com meu nome, e isso vem com a vitória. E assumo essa responsabilidade mais do que qualquer coisa porque sou um vencedor e sempre fui um vencedor, desde a primeira vez que joguei basquete", destacou.

A última vez que o Los Angeles Lakers esteve em uma final de conferência foi no ano de 2010, onde bateu o Phoenix Suns por 4 a 2, sagrando-se campeão da NBA naquele ano sobre o Boston Celtic, por 4 a 3 com Kobe Bryant ainda em seu elenco.