Sem poder retornar a China por questões referentes à pandemia do novo Coronavírus e política, uma vez que o país asiático mantém suas fronteiras fechadas, o Shandong Luneng autorizou Róger Guedes a procurar um novo clube para representar em 2020. Vale aqui dizer que as fronteiras na China só deverão voltar a serem reabertas em outubro deste ano, assim sendo, o clube achou melhor liberar seu atleta para que esse possa seguir sua carreira em outro time de seu interesse.

Mesmo com a liga chinesa tendo marcado o começo de sua temporada na primeira quinzena de julho, os clubes muito provavelmente irão ficar desfalcados de alguns atletas estrangeiros - mesmo que esse tenha residência fixa no país, ou seja, quem está fora (entre eles vários brasileiros), ficará de fora pelo menos até outubro deste ano.

Voltando a Róger Guedes, caso pintar uma negociação por empréstimo para o atacante, o clube no Brasil, por exemplo, será obrigado a arcar com pagamento integral de seu salário e ainda irá precisar desembolsar 3 milhões de euros - algo próximo a R$ 18 milhões para ter o atleta a sua disposição. Vale aqui lembrar que foi esse mesmo valor pago pelo clube chinês quando o adquiriu junto ao Palmeiras, em 2018.

Róger Guedes não está sendo liberado do seu contrato, bem pelo contrário, ele está apenas sendo liberado para buscar um novo clube por empréstimo enquanto não consegue retornar a China, visto que seu vínculo com o Shandong é válido até julho de 2022.

Mesmo sendo alvo de sondagens do Atlético-MG, que gostaria de contar com a volta do atacante, o destino do atleta poderá ser o futebol português, onde possivelmente acabará vestindo a camisa do Porto, que já o observa há alguns meses.

Assim como Róger Guedes, outros brasileiros que atuam no futebol chinês também estão sem conseguir ingressar no país asiático - como é o caso de Paulinho e Renato Augusto, que voltaram para o Brasil durante a quarentena e não conseguiram regressar ao país onde defendem seus respectivos clubes - o Guangzhou Evergrande e o Beijing Guoan, respectivamente.