Em busca de mais reforços nesta janela de transferências, o Atlético-MG trata a possível volta do atacante Róger Guedes como a "cereja do bolo". Com o apoio de investidores, a diretoria do Galo busca alternativas no mercado, com o objetivo de qualificar a equipe que será comandada pelo técnico Rafael Dudamel.

Mesmo com o interesse e com um bom poderio financeiro, o principal fator que distancia o jogador de uma volta ao futebol brasileiro neste momento é o salário. Atualmente, Róger Guedes tem vencimentos que beiram os R$2 milhões mensais. Com isso, para voltar ao Galo, o jogador teria que se comprometer a aceitar uma drástica redução salarial, de cerca de 60%, algo que o staff do atleta considera bastante difícil neste momento.

Em 2018, após ser quase dispensado pelo clube, o excelente início de temporada fez com que Róger Guedes fosse vendido pelo Palmeiras ao Shandong Luneng, em uma negociação que rendeu cerca de 2,5 milhões de euros. O rendimento no Atlético-MG, onde estava emprestado na ocasião, deixou saudades na torcida atleticana, que trata o jogador como um dos mais queridos dos últimos anos no clube.

Róger Guedes negocia volta ao Atlético-MG; salário é entrave. (Foto:Divulgação)
Róger Guedes negocia volta ao Atlético-MG; salário é entrave. (Foto:Divulgação)

O elenco do Atlético, segundo o diretor de futebol Rui Costa, está 85% formado. Allan, Hyoran, Maílton e Dylan Borrero são os contratados até o momento. O Galo ainda busca um lateral-esquerdo para disputar titularidade com Fábio Santos, além de um camisa 9 capaz de fazer os gols que Di Santo e Ricardo Oliveira deixaram escapar em 2019.

Enquanto isso, o Atlético pode sofrer baixas. O jogador mais visado no mercado é o goleiro Cleiton, que recebeu proposta de 5 milhões de euros do Bragantino. O Galo, ainda que com a possibilidade de ficar com Cleiton, busca um possível substituto e havia brigado por Vanderlei, que pertence ao Santos e está perto de acertar com o Grêmio.