Sem Pogba, e muito provavelmente sem Neymar, o Real Madrid volta as suas atenções para a contratação de outro grande jogador do futebol europeu: o meia dinamarquês Eriksen, do Tottenham. Entretanto, para tentar manter o jogador em seu elenco, o time inglês ofereceu um aslário muito acima dos padrões do futebol inglês: Cerca de R$ 1 milhão por semana, mais de R$ 4 milhões por mês.

A impressionante oferta faria do meia dinamarquês o segundo atleta mais bem pago do elenco comandado por Maurício Pochettino, atrás apenas do centroavante Harry Kane. De acordo com fontes próximas ao jogador, porém, o dinheiro não será importante na decisão. Eriksen tem apenas mais um ano de contrato com o Tottenham e o sonho de jogar em um dos gigantes do campeonato espanhol.

Isso significa que, a partir de janeiro de 2020, o camisa 23 dos Spurs já pode assinar um pré-contrato com qualquer clube europeu. Além do fato de que, ao final da temporada, pode sair de graça para onde quiser. O dinamarquês esperava ter propostas já nesta janela de transferências, mas nem Real Madrid, nem Barcelona passaram das sondagens. Ele terá que esperar ao menos até janeiro.

Isso se o Tottenham ceder no preço. O presidente Daniel Levy, ainda segundo o Daily Mail, pede cerca de 50 milhões de libras para negociar o atleta (cerca de R$ 254 milhões), valor alto considerando que Eriksen pode sair de graça em julho de 2020. Sem renovação e com o futuro incerto, Eriksen terá que encontrar uma maneira de se concentrar na Premier League. Em três rodadas, ele foi reserva em duas e substituído na única aparição como titular.