O primeiro reforço do Grêmio para a temporada 2021 pode estar vindo do River Plate. Um dos melhores atacantes da América do Sul nos últimos anos, Rafael Santos Borré pode trocar a Argentina pelo sul do Brasil. Com proposta de um investimento gigantesco, a pedido do técnico Renato Portaluppi, a direção do Grêmio faz todos os esforços para trazer o atacante colombiano nos próximos dias.

A partida contra o Racing, que acontece neste domingo às 18h30, não está nos holofotes do técnico Marcelo Gallardo e dos seus torcedores, mas sim o futuro de Borré. O colombiano é o jogador mais cobiçado da equipe e já teria dado resposta positiva à proposta do Grêmio.

O que parece ser um dos maiores empecilhos gremistas neste momento é mesmo o técnico do River. Gallardo não quer que Borré saia do time argentino e venha para o Brasil, com a justificativa que Borré teria mercado na Europa atualmente. Além disso, não quer disputar a Copa Libertadores contra o jogador em outro time candidato a chegar às fases finais da competição.

Um dos maiores jornais esportivos da Argentina, o Diário Olé, anunciou que Gallardo irá se encontrar com Borré neste sábado para convencê-lo a não aceitar a proposta do Grêmio. Veja:

Valor do negócio

Após escutar a proposta do Palmeiras, o atacante decidiu recusar os valores do time paulista e vem analisando ainda a possibilidade de ir à Europa, onde Lazio e o Celta de Vigo, atual time do ex-técnico do Inter, Eduardo Coudet, mostraram interesse, mas não ofertaram o mesmo montante do clube brasileiro.

A negociação envolvendo o jogador de 25 anos vem tomando rumos de status europeu. Isso porque o Grêmio fez uma proposta quase irrecusável na casa de US$ 2 milhões por temporada, cerca de R$ 11 milhões anuais. Além disso, pagaria luvas na casa de R$ 33 milhões de reais para ter o atacante em um contrato que duraria 4 anos.

Na Argentina, jornais já admitem que o atacante virá para o Grêmio e que este já teria aceito a proposta do clube gaúcho, restando apenas alguns detalhes para o anúncio. O Grêmio ofereceu um contrato de 3 anos, com possibilidade de prorrogação por mais 1. Já o empresário de Borré quer um contrato de 4 anos, com chance de prorrogação ainda por mais um.

Veja os valores oferecidos pelo Grêmio para ter Borré:

  • Salário de U$$ 2 milhões por temporada (cerca de R$ 11,5 milhões na cotação atual)
  • U$$ 6 milhões de luvas (cerca de R$ 33 milhões na cotação atual)
  • Valor do negócio custaria ao Grêmio cerca de R$ 80 milhões nos 4 anos

O que são as "luvas"?

As luvas, basicamente, são a compra do passe do jogador. Como Borré ficará sem clube ao fim do contrato - tem contrato com o River até o meio do ano e não renovou - o clube interessado necessita adquirir diretamente do atleta, uma parte de seu percentual.

Com isso, o clube comprador, no caso o Grêmio, pode realizar este pagamento à vista, ou diluídas mensalmente e as parcelas serem pagas juntamente com o salário. O valor das luvas é negociado diretamente com o jogador e seu staff.

Borré teria um dos maiores salários no Brasil

Além destes valores fixos, o Grêmio também teria definido com os representantes do jogador alguns bônus, principalmente por produtividade e metas. Quem auxilia o Grêmio na negociação é o empresário André Cury, que foi a peça principal nas tratativas entre Borré e Palmeiras, que acabaram não se concretizando.

Com estas cifras, Borré seria dono do maior salário do futebol brasileiro. Hoje, o mais bem pago do esporte nacional é o meia Daniel Alves, do São Paulo, que recebe aproximadamente R$1,5 milhão/mês. Além disso, Borré seria dono do 2º maior salário da história do futebol brasileiro, ficando atrás apenas de Dudu, que na época em que atuava pelo Palmeiras, tinha vencimentos acima dos R$ 2 milhões mensais.

Mesmo assim, internamente, o Grêmio considera o negócio muito complexo, e existe o receio de que algum clube da Europa entre também na disputa. Agora, com tudo feito de sua parte, o tricolor aguarda a resposta de Borré, e avança em outros nomes para complementação do elenco.