Foi prometido, e ao que tudo indica, tem boas chances de ser cumprido. Os investimentos gigantescos pedidos pelo técnico Renato Portaluppi para renovar com o Grêmio iniciam-se em um nome específico: Trata-se do atacante colombiano Rafael Santos Borré.

O atacante, que está em parte final de contrato com o River Plate, é o grande desejo da diretoria e da torcida tricolor. Aos 25 anos de idade, o colombiano está negociando oficialmente com o Grêmio, que neste momento, trouxe a única proposta em mãos que o jogador tem.

E, a negociação vem tomando rumos de status europeu. Isso porque, de acordo com informações do jornalista JB Filho, o tricolor gaúcho apresentou sua 3ª proposta oficial de pré-contrato para contratar o atacante, com as seguintes cifras:

  • Salário de U$$ 2,5 milhões por temporada (cerca de R$ 13,75 milhões na cotação atual)
  • U$$ 6 milhões de luvas (cerca de R$ 33 milhões na cotação atual)
  • Salário mensal: R$1,750 milhão na cotação atual
Caso aceite proposta, Borré será a maior contratação da história do Grêmio. (Foto: Reprodução)
Caso aceite proposta, Borré será a maior contratação da história do Grêmio. (Foto: Reprodução)

Segunda proposta do Grêmio tem patamar astronômico

Sabendo que para contratar Borré, precisaria desembolsar uma quantia de dinheiro bastante elevado. Com isso, a diretoria tricolor abriu os cofres, e fez aquilo que a imprensa argentina chama de "loucura". Sendo assim, a nova proposta do Grêmio foi a seguinte:

  • U$$2 milhões de salário por temporada (R$846 milhões por mês)
  • U$$6 milhões de dólares de luvas (R$33 milhões)
  • Contrato de 5 anos
  • Bônus por metas de produtividade de até U$$100 mil (R$550 mil)
  • Todos os valores com a cotação do dólar fixada em R$5,50.

Contando o valor somado total, estima-se que durante os 5 anos de contrato, o Grêmio chegue a desembolsar a quantia de R$130 milhões. Convertendo em euros, o valor aproximado seria de 13 milhões de euros, o que é um investimento elevado até para os clubes do Velho Continente.

Internamente, o Grêmio entende que nenhum outro clube conseguirá, financeiramente, cobrir a sua oferta. Apenas um ótimo projeto de um clube europeu com alta ambição seria capaz de seduzir o atacante colombiano para mudar de ideia.

O que são as "luvas"?

As luvas, basicamente, são a compra do passe do jogador. Como Borré ficará sem clube ao fim do contrato, o clube interessado necessita adquirir diretamente do atleta, uma parte de seu percentual.

Com isso, o clube comprador, no caso o Grêmio, pode realizar este pagamento à vista, ou diluídas mensalmente e as parcelas serem pagas juntamente com o salário. O valor das luvas é negociado diretamente com o jogador e seu staff.

Borré tem em mãos maior salário do futebol brasileiro

Além destes valores fixos, o Grêmio também teria definido com os representantes do jogador alguns bônus, principalmente por produtividade e metas. Quem auxilia o Grêmio na negociação é o empresário André Cury, que foi a peça principal nas tratativas entre Borré e Palmeiras, que acabaram não se concretizando.

Com estas cifras, Borré seria dono do maior salário do futebol brasileiro. Hoje, o mais bem pago do esporte nacional é o meia Daniel Alves, do São Paulo, que recebe aproximadamente R$1,5 milhão/mês. Além disso, Borré seria dono do 2º maior salário da história do futebol brasileiro, ficando atrás apenas de Dudu, que na época em que atuava pelo Palmeiras, tinha vencimentos acima dos R$2 milhões mensais.

Mesmo assim, internamente, o Grêmio considera o negócio muito complexo, e existe o receio de que algum clube da Europa entre também na disputa. Agora, com tudo feito de sua parte, o tricolor aguarda a resposta oficial de Borré, e avança em outros nomes para complementação do elenco. O contrato oferecido pelo Grêmio teria duração de 5 temporadas.