Ferran Soriano - CEO do Manchester City.
Ferran Soriano - CEO do Manchester City.

Punido pela UEFA, o CEO do Manchester City - Ferran Soriano revelou nesta quarta-feira, algumas questões a respeito da punição sofrida pelo clube em que ficará sem poder disputar a Champions League pelas duas próximas temporadas. O espanhol disse que as alegações contra os "citizens" são falsas e que os responsáveis já estão reunindo evidências para contestar e revogar a decisão tomada na última sexta-feira pela entidade máxima do futebol no "Velho Continente".

"O mais importante que eu tenho para dizer hoje é que as acusações são falsas. Elas simplesmente não são verdadeiras. O torcedor pode ter certeza de duas coisas. A primeira é que as alegações são falsas. E a segunda é que faremos o possível para provar isso".

O dirigente em questão negou que o clube inglês não tenha cooperado com as investigações e que espera uma audiência mais justa na Corte Arbitral do Esporte - o CAS.

"Nós cooperamos com o processo. Entregamos uma longa lista de documentos que acreditamos como evidências irrefutáveis de que as acusações são falsas. Tudo o que nós queremos agora é um julgamento justo, em um órgão independente e imparcial que leve o tempo necessário para analisar as evidências sem preconceitos".

Sobre o que Pep Guardiola e o elenco estão pensando sobre o processo, o CEO fez questão de garantir que todos estão focados no campo.

"É claro que Pep foi informado sobre o processo, mas não é algo que ele deva responder. Ele está focado no futebol, no jogo. Os jogadores também estão calmos e focados no futebol. Esta é uma questão mais jurídica e comercial do que esportiva".

A expectativa de Soriano é de que haja uma rápida solução para o caso através de um processo completo. O CEO do City espera que todas as questões se resolvam antes do verão europeu e que, até lá, tudo continua funcionando normalmente, tanto nos negócios, quanto no futebol.