A primeira partida da final da Libertadores disputada na última noite de quarta-feira, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, foi um jogo digno de uma final desta grandeza. Com marcação forte, sem espaços para ambos os lados e com uma arbitragem confusa, essa foi à história do primeiro duelo entre Grêmio e Lanús.

Mas em uma final, também é preciso ter estrela e isso o time do Grêmio teve. Grohe mais uma vez foi o salvador, com dois milagres ainda no primeiro tempo e Renato, com as três substituições mudou a cara do jogo. Com as entradas de Everton, Cícero e Jael, o "tricolor gaúcho" chegou ao gol da partida - Jael de cabeça ajeitou para Cícero que teve apenas o trabalho de tocar para os fundos das redes do Lanús, determinando assim a vantagem do Grêmio, que na próxima quarta-feira no estádio La Fortaleza, na Argentina, com qualquer placar de igualdade sairá "Tricampeão da América".

Libertadores 2017.
Libertadores 2017.

Por outro lado, se os argentinos quiserem levantar pela primeira vez o troféu da Libertadores, precisarão vencer o jogo por dois gols de diferença, caso vençam a partida por um gol de vantagem, a mesma irá para a prorrogação e se persistir a igualdade, a decisão será nas cobranças de pênaltis.

O Jogo:

O Grêmio até que tentou se impor no início do confronto - com Jaílson, Arthur, Ramiro e Luan marcando em cima, o tricolor teve uma boa arrancada, mas logo o Lanús compreendeu a partida e começou a tocar a bola, com toques próximos e preciso, o time argentino obrigou Marcelo Grohe a fazer dois milagres. O primeiro foi aos 33 minutos da primeira etapa, quando numa boa jogada de Martínez, que recebeu a bola do atacante Sand, fez o papel de pivô e chutou cruzado; Grohe em um reflexo incrível fez o primeiro milagre da noite. Aos 39 ainda da etapa inicial, o segundo ato do arqueiro gremista. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Braghieri subiu no terceiro andar e livre de marcação, cabeceou para baixo, mas mais uma vez brilhou a estrela do goleiro gremista, que fez uma defesa incrível, de puro reflexo, deixando a Arena com mais de 55 mil torcedores em um silêncio nunca visto antes.

Renato Gaúcho - Treinador do Grêmio.
Renato Gaúcho - Treinador do Grêmio.

Na segunda etapa, o treinador Renato Gaúcho, exigiu mais velocidade de sua equipe, mas o Lanús manteve sua proposta de vir fechado e sair somente no contra-ataque, com troca de passes precisos e objetivos, tanto que a primeira chance de gol só saiu aos 13 minutos, com um chute de fora da área do lateral-esquerdo Bruno Cortez - o goleiro Andrada do Lanús fez uma belíssima defesa.

Com as mesmas dificuldades do primeiro tempo, o treinador do Grêmio não demorou muito para realizar as três substituições e foi aí que ele mudou a cara do jogo. Com as entradas de Everton, Cícero e Jael, nos lugares de Fernandinho, Jaílson e Lucas Barrios, a estrela do treinador apareceu. Em um lance aos 37 minutos do segundo tempo, o gol - após uma bola alçada na área por Edilson, Jael de cabeça tocou para Cícero, que apenas precisou desviar com um leve toque com o pé direito. Mesmo em cima de Andrada, esse nada pode fazer e viu a bola entrando na sua meta. Gol do Grêmio.

Cícero - a esquerda, autor do gol que dá a vantagem gremista na final da Libertadores.
Cícero - a esquerda, autor do gol que dá a vantagem gremista na final da Libertadores.

A partir do gol gremista, pouca coisa se viu, os jogadores do Lanús esqueceram o jogo e começaram a provocar os gremistas, com tantas reclamações de ambos os lados, deixaram o árbitro mais perdido ainda e assim o tempo foi passando, até Julio Bascuñan determinar o fim do jogo - Grêmio 1 a 0 Lanús.

GRÊMIO - Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson (Cícero), Arthur, Ramiro, Luan e Fernandinho (Everton); Lucas Barrios (Jael). Técnico: Renato Gaúcho.

LANÚS - Andrada; José Gómez, Rolando García, Braghieri e Maxi Velázquez (Aguirre); Román Martínez, Marcone e Pasquini; Alejandro Silva, José Sand e Acosta. Técnico: Jorge Almirón.

GOL - Cícero, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Cícero, Kannemann e Jailson (Grêmio); Braghieri, Maxi Velázquez, Rolando García e Acosta (Lanús).

ÁRBITRO - Julio Bascuñan (Fifa/Chile).

RENDA - R$ 6.526.427,00.

PÚBLICO - 55.188 pagantes.

LOCAL - Arena Grêmio, em Porto Alegre (RS).

A partida de volta será na próxima quarta-feira, as 21h45, no estádio La Fortaleza, em Lanús, na Argentina.