Finalmente o Tribunal Disciplinar da Conmebol resolveu revelar as penalizações imposta para Grêmio e Internacional na briga generalizada no primeiro Grenal da história da Libertadores, onde oito jogadores acabaram expulsos - quatro de cada lado.

O confronto entre os rivais gaúchos pela Libertadores da América 2020 ocorreu em março, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. No fim do jogo, que acabou empatado em 0 a 0 pela segunda rodada da fase de grupos, Paulo Miranda, Pepê, Luciano e Caio Henrique foram expulsos pelo lado gremista, e Moisés, Cuesta, Praxedes e Edenílson receberam o cartão vermelho no time colorado.

Dos oito jogadores, Paulo Miranda (GRE) e Moisés (INT), foram os que levaram as punições mais pesadas - quatro jogos para cada um e de quebra uma multa no valor de US$ 3 mil. Já Luciano (GRE) e Edenílson (INT), também não foram poupados - pegaram três jogos cada e também multa de US$ 3 mil. Já Pepê (GRE), Caio Henrique (GRE), Praxedes (INT) e Cuesta (INT) sofreram uma punição mais branda - um jogo para cada e multa financeira no valor de US$ 1,5 mil.

Confusão do Grenal na Libertadores - imagem: Conmebol
Confusão do Grenal na Libertadores - imagem: Conmebol/globoesporte.com

Vale ressaltar que cabe recurso - mas somente para dois desses jogadores: Paulo Miranda e Moisés - jogadores esses que levaram acima de três jogos de punição, como é destacado no regulamento da Conmebol.

Pelos lados do Grêmio, o departamento jurídico já adiantou que não irá tentar reverter à suspensão, já pelo Inter a direção irá avaliar o caso durante o final de semana e muito provavelmente deverá entrar com pedido de recurso.

Atualmente Inter e Grêmio dividem a liderança no Grupo E da Libertadores - com quatro pontos cada, o Colorado leva a vantagem no saldo de gols (3 a 2). A competição está paralisada desde março por conta do novo Coronavírus e não tem previsão para retornar.