A fase de grupos da Copa Libertadores da América se aproxima, e com isso, as principais forças do futebol brasileiro se preparam para a competição mais importante de seus calendários. Pensando nisso, iremos trazer para você, torcedor, a situação de cada um dos adversários das equipes brasileiras na fase de grupos da Libertadores. Desta vez, iremos analisar o grupo C, do Athletico.

Campeão da Copa do Brasil em 2019 e apontado por muitos como um dos principais times do futebol brasileiro nos últimos anos, o Athletico passa por uma reformulação. O ciclo glorioso trouxe conquistas e euforia ao torcedor, mas também foi o motivo da saída de vários nomes importantes, como o técnico Tiago Nunes, além do meia Bruno Guimarães, e dos atacantes Marcelo Cirino, Rony e Marco Rúben. Sendo assim, 2020 promete ser um ano de afirmação entre os grandes clubes do país para o Furacão.

Como chegam os adversários

COLO-COLO (CHILE)

Vice-campeão chileno em 2019, o Colo-Colo é apontado como o time que pode dar mais trabalho ao Athletico nesta fase de grupos. Uma das equipes mais tradicionais do futebol sul-americano, o time conta com grande apoio de sua torcida, e também com um elenco recheado de jogadores conhecidos do futebol do continente, para se classificar para as oitavas de finais da competição.

A equipe comandada pelo técnico Mario Salas conta com a experiência de jogadores consagrados no futebol sul-americano, e com isso, tem uma filosofia de jogo com bastante posse de bola, e com jogadas trabalhadas, mas com pouca velocidade. A aposta na qualidade individual de seus jogadores de ataque faz com que o time funcione muito bem no esquema 4-2-3-1 proposto por seu treinador.

Os principais jogadores do Colo-Colo são o meia Leonardo Valencia, que teve passagem pelo Botafogo em 2019, do também meia Pablo Mouche, ex-Palmeiras e que atua pelo lado esquerdo, além do zagueiro Insaurralde, ex-Boca Juniors.

NÚMEROS EM 2020:

  • 7 jogos (Copa Chilena e Campeonato Chileno)
  • 2 vitórias
  • 1 empate
  • 4 derrotas
  • 8 gols marcados
  • 9 gols sofridos
Colo-Colo promete ser a segunda força do grupo C da Libertadores 2020. (Foto:Divulgação)
Colo-Colo promete ser a segunda força do grupo C da Libertadores 2020. (Foto:Divulgação)

JORGE WILSTERMANN (BOLÍVIA)

Se o Colo-Colo promete incomodar, o Jorge Wilstermann deve ser o time mais fraco do grupo. Entretanto, a altitude é o grande trunfo do time boliviano, que geralmente tem bons resultados contra times que não estão habituados a estas condições. O Estádio Felix Capriles tem 2.560 metros de altitude, o que pode trazer dificuldades ao Athletico.

Dentro de campo, a equipe do Jorge Wilstermann não é dona de grande qualidade técnica. Com um time muito focado no sistema defensivo, a equipe comandada pelo técnico Cristian Leonel Díaz atua no esquema 4-5-1, com apenas um jogador no comando de ataque. O jogador mais habilidoso é o meia Serginho, que já tem 4 gols em 6 jogos na atual edição do campeonato boliviano.

NÚMEROS EM 2020:

  • 9 jogos
  • 4 vitórias
  • 1 empate
  • 4 derrotas
  • 10 gols marcados
  • 9 gols sofridos
Jorge Wilstermann é a equipe mais fraca do grupo, mas altitude atuando em casa pode beneficiar. (Foto:Divulgação)
Jorge Wilstermann é a equipe mais fraca do grupo, mas altitude atuando em casa pode beneficiar. (Foto:Divulgação)

PEÑAROL (URUGUAI)

Uma das equipes mais vencedoras da história da Copa Libertadores da América, o Peñarol, do Uruguai, aposta na sua grande tradição para tentar fazer frente ao Athletico. Penta-campeão da Libertadores, com sua última conquista em 1987, e chegando ao vice-campeonato no ano de 2011, quando foi derrotado pelo Santos.

Assim como o futebol uruguaio em geral, o Peñarol tenta formar um time competitivo através de suas categorias de base, e sem muito poder financeiro, tenta ser a segunda força do grupo. Além disso, o fator local pode ser o grande trunfo do Peñarol para se classificar para as oitavas de finais da competição continental.

Dentro de campo, o Peñarol atua no esquema 4-3-3, com extrema dependência da velocidade de seus jogadores de lado de campo. Por ser um time de média de idade relativamente baixa, a ideia da equipe comandada pelo técnico e ex-jogador Diego Forlán é apostar em uma transição rápida entre os setores. A grande referência técnica do time uruguaio é o meia Cristian Rodríguez, que é um dos grandes jogadores do Uruguai nos últimos anos.

NÚMEROS EM 2020:

  • 6 jogos (Campeonato Uruguaio e amistosos)
  • 1 vitória
  • 3 empates
  • 2 derrotas
  • 3 gols marcados
  • 5 gols sofridos
Peñarol começou a temporada mal, mas sua tradição é trunfo na Libertadores. (Foto:Divulgação)
Peñarol começou a temporada mal, mas sua tradição é trunfo na Libertadores. (Foto:Divulgação)

CONFIRA OS JOGOS DA 1ª RODADA DO GRUPO C DA LIBERTADORES 2020:

03/03: Athletico x Peñarol - 21h30
04/03: Jorge Wilstermann x Colo-Colo: 19h15