Após remarcações da partida final da Libertadores, times brigam nos bastidores pelo título. Em quanto o Boca Juniors tenta usar o regulamento da competição a seu favor, o River Plate tenta remarcar uma nova data com a Conmebol.

E nesse empurra, empurra, a decisão da Libertadores-2018 vai sendo postergada - mesmo que os "Xeneizes" consigam alguma punição aos "Vermelhos da Argentina", a partida final da maior competição sul-americana de futebol deverá ocorrer e as chances dela ser em solo árabe, são muito grandes, segundo informações do site do "sportv".

Entretanto, a Conmebol aceitou um último pedido do Boca, onde prorrogou o prazo para o finalista da Libertadores contestar a defesa apresentada pelo rival, como destaca em um comunicado.

"O Boca Juniors solicitou uma prorrogação no prazo para apresentar sua contestação à defesa apresentada pelo River, que foi concedida até as 13h (horário de Brasília) de 29 de novembro", informa a entidade através de sua conta oficial no Twitter.

Como se esperava que tudo fosse resolvido até a última terça-feira; algo que acabou não acontecendo, a decisão por parte do Tribunal da Conmebol que julga os pedidos do Boca Juniors e da própria "entidade", deverá sair somente no final de semana e até lá a Conmebol não deverá se pronunciar quanto ao local da partida da decisão da Libertadores.

Nas últimas horas chegaram mais propostas a sede da entidade máxima do futebol na América do Sul, interessados em sediar a grande final da Libertadores - mesmo Doha - no Catar ser a grande favorita, Medellín, na Colômbia e Nova Orleans, nos Estados Unidos, se juntaram a Miami e Assunção como possibilidades.

Os próximos dias ou horas serão de expectativas para os finalistas, torcedores e entusiastas do futebol, quanto à decisão do Tribunal da Conmebol e suas medidas em relação à grande final da Copa Libertadores-2018.