Marcelo Gallardo em entrevista nesta sexta-feira admite ter errado, mas diz ter agido por "impulso"

Treinador do River Plate descumpriu ordens da Conmebol ao falar com seus auxiliar através de um rádio durante a partida, ter ido ao vestiário no intervalo e ter dado entrevista após o final do jogo.

Por
Compartilhe

Punido pela Conmebol, Marcelo Gallardo que desacatou as ordens da entidade máxima do futebol sul-americano, em entrevista coletiva nesta sexta-feira após o episódio na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, durante essa semana faz uma “mea culpa” onde admiti ter agido por impulsão.

Com a Conmebol neste momento analisando as reclamações gremistas (a decisão da entidade só sairá ao iniciar da noite) em sua sede, no Paraguai, o treinador do River Plate que estava impedido de trabalhar na última terça-feira na partida pelas semifinais da Taça Libertadores, na capital gaúcha e mesmo assim burlou as penas imposta a ele, admitiu o erro. Com o julgamento da causa em andamento, como já declaramos Gallardo muito provavelmente irá receber uma pena muito maior, enquanto o Grêmio busca a vaga através do mesmo.

Treinador do River Plate em entrevista coletiva nesta manhã de sexta-feira.Treinador do River Plate em entrevista coletiva nesta manhã de sexta-feira.

Abaixo veja trechos da coletiva de Marcelo Gallardo à imprensa:

“Três dias após, você para para refletir e acaba analisando com mais tranquilidade o que foi o confronto e a classificação. Isso é o que de momento eu valorizo e respeito, que talvez não tenha sido dada uma importância maior. Sempre estive convencido de que era injusta a punição diante de uma situação de tanta importância como uma semifinal de Libertadores, as emoções também jogam e jogaram contra mim ter atuado impulsivamente. Isso senti e refleti nesses dias. Admito que agi por impulso e perdi a razão. Mas tenho tranquilidade e me pare que não há argumento para invalidar a situação que claramente alcançamos no campo, que nos tirem da final. Vou esperar a punição, depois da defesa que fizemos, e então começarei a focar o jogo com muito entusiasmo e decisão. Não tinha decidido ir para o vestiário, foi algo impulsivo, sanguíneo, que às vezes acontece. Você tem que viver esses momentos para entender o que se sente. Foi sanguíneo, assumi a minha responsabilidade, quebrei a regra, mas não estava desafiando nada. Estávamos perdendo e senti que tinha que estar com o grupo. Nada mais que isso. O elenco está preparado para jogar sem o treinador no banco. Não gostaria de perder a final, mas confio neles e no meu corpo técnico. Somos humanos e temos essas falhas com as quais podemos nos equivocar. Em toda a competição da Conmebol não tínhamos nenhum problema com qualquer árbitro que seja”, declarou.

A decisão da Conmebol segundo informações vindas diretamente do Paraguai, será dada somente após às 18h desta sexta-feira através das redes sociais da entidade que irá publicar uma nota sobre a medida tomada em relação a esse assunto.

 

Comentários