Conmebol promete investigar abusos de Gallardo durante partida na Arena do Grêmio

Mesmo antes da direção do Grêmio rumar à sede da entidade, a Conmebol já havia comunicado que iria investigar a conduta do treinador argentino, que descumpriu uma ordem da unidade disciplinar.

Por
Compartilhe

A partida entre Grêmio e River Plate, em Porto Alegre promete novos capítulos nos próximos dias – tudo em função de Marcelo Gallardo, treinador do time argentino que desobedeceu a uma punição da Conmebol, onde a entidade máxima do futebol na América do Sul já prometeu investigar o caso.

Mesmo antes da direção do Grêmio rumar à sede da entidade, a Conmebol já havia comunicado que iria investigar a conduta do treinador argentino, que descumpriu uma ordem da unidade disciplinar. A direção gremista em comitiva viajou ao Paraguai para protocolar uma reclamação contra o River Plate, pleiteando a reversão do placar da partida em Porto Alegre e com isso, a sua classificação a final da Libertadores.

Marcelo Gallardo que estava impedido de ir ao vestiário e de se comunicar com o elenco de sua equipe, infringiu todas as punições. O mesmo utilizou um rádio o tempo todo para se comunicar com seu auxiliar técnico e, além disso, desceu nos vestiários no intervalo da partida na última terça-feira – sendo flagrado pelas câmeras de televisão. Se não bastasse, o mesmo que também estava impedido de conceder entrevistas pós-jogo, falou as rádios admitindo que tinha sim transgredido as ordens da Conmebol.

Na imagem é possível ver o técnico Marcelo Gallardo invadindo o vestiário do River Plate durante o intervalo do jogo.Na imagem é possível ver o técnico Marcelo Gallardo invadindo o vestiário do River Plate durante o intervalo do jogo.

Em um comunicado através das redes sociais, o presidente da Conmebol – Alejandro Domínguez declarou que o Grêmio será bem vindo a sede da entidade, mas o mesmo também disse que qualquer reclamação por parte do time brasileiro deverá ser enviada a “Unidade Disciplinar da Instituição”.

Veja abaixo o comunicado do presidente da Conmebol nas redes sociais da entidade:

“O Grêmio, como qualquer clube, será sempre bem-vindo na presidência da Conmebol, mas qualquer reivindicação deve ser apresentada perante a Unidade Disciplinar no tempo e forma contemplados pelo regulamento e será de competência exclusiva do Tribunal Disciplinar”.

Com o pedido junto à “unidade”, o Grêmio tentará a reversão dos pontos da partida, ou seja, tentará ele se classificar a final da Taça Libertadores sob a alegação que o treinador do River Plate influiu diretamente no resultado da partida, usando artigos do regulamento da Libertadores e do código disciplinar da Conmebol como argumentos. Onde ainda cita os casos de Santos e Chapecoense, que perderam os pontos de jogos na competição por escalação irregular de jogadores, como precedentes.

Abaixo veja os artigos ao qual a defesa do Grêmio se apega para tentar reverter sua situação na Libertadores:

Artigo 115

Ao término do jogo, haverá coletiva de imprensa dos dois times com a maior brevidade possível em relação ao final da partida, que obrigatoriamente contará com a presença do treinador da equipe e um jogador que disputou a partida (que tenha jogado). A ordem das coletivas de imprensa, normalmente será a seguinte:

1º time: time visitante

2º time: time local

  • 1º – Os jogadores e oficiais expulsos durante a partida ou suspensos, não poderão participar da coletiva de imprensa. No caso do treinador ter sido expulso ou estar suspenso, deverá comparecer à coletiva de imprensa o assistente técnico.
  • 2º - O descumprimento do presente artigo constitui infração disciplinar encontrando-se facultados os órgãos disciplinares da CONMEBOL a impor as sanções que em conformidade com o Regulamento Disciplinar da CONMEBOL possam corresponder.

 

Artigo 116

Não é permitida a utilização de nenhum equipamento e/ou sistema de comunicação entre jogadores e/ou comissão técnica durante o jogo.

  • Regulamento Disciplinar da Conmebol

Artigo 19 - Determinação do resultado de uma partida por responsabilidade ou negligência de uma das equipes

  1. Sem prejuízo de outras sanções que possam ser impostas, qualquer equipe por cuja responsabilidade se determine o resultado de uma partida, será considerada como perdedora desse jogo por 3-0. Se o resultado real for menos favorável para o clube ou associação responsável, esse resultado será mantido.
  2. Quando as partidas são disputadas de acordo com o sistema de copa (eliminatórias), os gols em campo contrário concedidos na aplicação do parágrafo 1 deste artigo não contarão em dobro.
  3. No caso de escalação indevida de um jogador será aplicado o disposto nos parágrafos 1 e 2 do presente artigo unicamente se a equipe contrária interpuser uma reclamação oficial no prazo de vinte e quatro (24) horas uma vez finalizado o jogo, salvo que aquela tenha sido produzida porque o jogador em questão descumpriu uma sanção disciplinar regulamentar, decisão ou ordem dos órgãos judiciais. Neste caso, a Unidade Disciplinar iniciará o procedimento de ofício.

 

Artigo 56 - Motivos para reclamar contra o resultado de uma partida

  1. São motivos para reclamar contra o resultado de uma partida:
  2. a) Escalação indevida.
  3. b) Uma decisão de um oficial de jogo que tenha influenciado no resultado do jogo exclusivamente em supostos de corrupção arbitral.
  4. c) Qualquer outro incidente grave, estabelecido pelo presente Regulamento, que tenha tido influência no resultado da partida.

 

Artigo 76 - Execução ordinária de suspensões

  1. O diretor esportivo/técnico, qualquer membro do corpo técnico ou demais oficiais sancionados com a suspensão de suas funções, poderão presenciar partida(s) na(s) qual (is) esteja vigente sua suspensão unicamente das arquibancadas. Não poderá acessar o vestiário, túnel, banco de reservas ou área técnica antes nem durante a partida, nem poderá por nenhum meio comunicar-se com sua equipe.
Comentários