Conmebol promete avaliar a expulsão de Dedé na partida contra o Boca, pela Libertadores

A expulsão de Dedé do Cruzeiro diante do Boca Juniors em partida válida pela Libertadores ainda está rendendo muita discussão entre brasileiros e a Conmebol.

Por
Compartilhe

Após a Confederação Brasileira de Futebol enviar um ofício a Conmebol pedindo reparação ao Cruzeiro e a Dedé, além de investigar a responsabilidade pelo “VAR”, a entidade máxima do futebol sul-americano – Conmebol, admitiu certa preocupação com a arbitragem da partida entre Boca e Cruzeiro durante essa semana, onde o time mineiro foi devidamente prejudicado pelo árbitro Eber Aquino, que expulsou o zagueiro brasileiro após um choque com o goleiro do Boca – porém o choque foi normal, de jogo.

Eber Aquino teve que ser "auxiliado" pelo VAR e mesmo assim errou no lance da expulsão de Dedé.Eber Aquino teve que ser "auxiliado" pelo VAR e mesmo assim errou no lance da expulsão de Dedé.

O árbitro do confronto entre brasileiros e argentinos teve que consultar o VAR – árbitro de vídeo para somente após expulsar o zagueiro do Cruzeiro, em um lance casual entre Dedé e Andrada. De acordo com a Conmebol, o caso está sendo analisado e a entidade ainda aguarda um relatório técnico para somente responder ao pedido da CBF, mas a mesma prometeu agilidade na conclusão.

Em uma nota enviada pela Conmebol a CBF, parte do mesmo diz o seguinte:

“... Nesse sentido, desde a Conmebol compartilhamos sua preocupação sobre a atuação da equipe de árbitros na partida mencionada anteriormente. Da mesma forma, afirmamos que a administração já tomou medidas a respeito e, uma vez que tenhamos os elementos necessários, que forem feitos os relatórios técnicos, e que tenhamos uma conclusão a respeito, a mesma lhe será comunicada imediatamente.”

Em um ofício enviado a entidade máxima do futebol sul-americano, a CBF solicita a reparação dos danos causados ao Cruzeiro e também ao zagueiro Dedé, além desses, a entidade brasileira solicita que a Conmebol investigue o procedimento usado durante as partidas em relação ao árbitro de vídeo – VAR, visto que para essa o sistema foi utilizado de maneira errada.

Além da CBF, o Cruzeiro através de seu presidente – Wagner Pires de Sá se fez presente à sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, onde manifestou sua real insatisfação quanto à expulsão de Dedé. Junto as sede da entidade, o mandatário do Cruzeiro protocolou uma apresentação solicitando a anulação da expulsão de Dedé, para que assim o atleta possa atuar normalmente na partida de volta entre Cruzeiro e Boca Juniors, no dia 4 de outubro, no Brasil.

Mais sobre: cruzeiro dede conmebol
Comentários