Santos será julgando nesta tarde pela Conmebol pelo "Caso Sánchez"

O clube brasileiro solicitou a Conmebol que Sánchez cumpra um jogo de suspensão na partida contra o Independiente, nesta próxima terça-feira, às 19h30 no Pacaembu.

Por
Compartilhe

Antes de entrar em campo nesta semana para decidir sua vida na Libertadores, o Santos terá uma outra grande batalha fora dele, ou seja, o clube paulista vai a Conmebol por resolução do caso Sánchez.

Nesta tarde de segunda-feira, véspera da decisão contra o Independiente, às 19h30, no Pacaembu, pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores, a Conmebol irá julgar o “Caso Sánchez” em sua sede, em Luque, no Paraguai.

A Conmebol alega que Carlos Sánchez atuou de forma irregular contra o time argentino nas oitavas de final da Libertadores.A Conmebol alega que Carlos Sánchez atuou de forma irregular contra o time argentino nas oitavas de final da Libertadores.

De acordo com a acusação, o lateral santista foi escalado de forma irregular na primeira partida das oitavas de final do torneio sul-americano, na Argentina, no empate em 0 a 0 diante do Independiente. Caso a entidade máxima do futebol sul-americano entenda que o uruguaio atuou de forma irregular em campo, o resultado da partida automaticamente será revertido, ou seja, o Independiente irá vencer a mesma por 3 a 0, assim sendo, o Santos terá que vencer os argentino nesta próxima terça-feira por quatro gols de diferença em São Paulo, caso deseje avançar na competição.

O presidente santista – José Carlos Peres viajou a Luque neste último domingo, acompanhado do gerente jurídico do clube – Rodrigo Gama Monteiro e dos advogados que irão defender o Santos no caso.

O clube brasileiro solicitou a Conmebol que Sánchez cumpra um jogo de suspensão na partida contra o Independiente, nesta próxima terça-feira, às 19h30 no Pacaembu, porém, o clube nega que tenha errado ao escalá-lo no primeiro confronto, na Argentina.

Em uso como defesa, os representantes legais do Santos alegam que o argentino Bruno Zuculini, do River Plate, foi utilizado de forma irregular até aqui na Libertadores, uma vez que o jogador teria dois jogos para cumprir de suspensão por conta de uma expulsão em 2013, quando na época atuava pelo Racing – essa alegação foi enviada pelo departamento jurídico do Peixe através de ofício a Conmebol.

Em relação ao fato transmitido pela defesa do Santos, a Conmebol já se manifestou, dizendo que o que aconteceu neste caso é diferente do caso envolvendo Sánchez, onde a entidade assumi a culpa, informando ainda que o time argentino não será penalizado. Por sua vez, o Racing entrou com recurso contra a não punição ao River por conta da escalação irregular do jogador.

Comentários