Mesmo contrariada, Juventus também deixa a Superliga Europeia. Um dos principais entusiastas com a criação do novo torneio - Andrea Agnelli admitiu a derrota.

Em entrevista a "Reuters", o mandatário da "Velha Senhora" ao ser questionado a respeito da competição que fora destaque do mundo esportivo neste início de semana, foi categórico ao falar sobre o tema:

"Sendo franco e honesto, não. Continuo convencido do projeto, mas admito. Não acho que este projeto ainda esteja funcionando".

Entenda a saída da Juventus

A equipe de Turim após ser uma das mais entusiastas com a criação da "Superliga" se viu pressionada a abandonar o projeto depois de ver as equipes inglesas abandonar a mesma, assim como a Internazionale e o Milan. Onde mais tarde além desses, o Atlético de Madrid também anunciaria sua saída. Não tendo muitas escolhas, a Juventus então seguiu o mesmo caminho de suas "co-irmãs" italianas, após enxurradas de críticas e pressão por parte de torcedores, clubes menores, UEFA e da própria FIFA, que prometeu tomar medidas legais caso essa ideia seguisse.

Agnelli ao lado de Florentino Pérez era um dos que mais defendia a criação da referida "liga", que no projeto inicial, deveria contar com pelo menos 20 clubes.