O treinador escocês Bill Shankly uma vez disse que "Algumas pessoas acreditam que futebol é questão de vida ou morte. Fico muito decepcionado com essa atitude. Eu posso assegurar que o futebol é muito, muito mais importante". Este grande ex-futebolista e ex-treinador (falecido em 1981) quis dizer que o futebol, em sua essência, é mais do que simplesmente uma turma de 22 jogadores correndo dentro quatro linhas atrás de uma bola.

Em meio a tantas polêmicas envolvendo o futebol, casos de violência, racismo e fraudes, a gente até desanima de acompanhar com tanta paixão este esporte. Mas um episódio ocorrido há alguns dias me fez reacender esse fogo - estou falando da matéria do Globo Esporte em que o atacante do Botafogo, o Roger e sua filha Giulia (deficiente visual) receberam das mãos do narrador Luís Roberto uma placa com a representação do gol de Roger em relevo 3D para que sua filha não só ouvisse a narração do gol, mas pudesse sentir com os dedos como cada movimento do pai fora executado. Vou deixar o vídeo pra você aqui em baixo.

Mas a história do futebol tem outros tantas partidas que marcaram não só as equipes em campo, mas o mundo todo. Vamos conferir seis jogos que mudaram o mundo?

Inglaterra x Alemanha

Quando foi: 1914

Dá para imaginar que em meio a primeira guerra mundial, daria-se um tempo no tiroteio para trocar a estratégia de ataque de guerrilha para organizar uma partida de futebol no dia de natal? Acredite se quiser, mas os soldados ingleses e alemães fizeram uma marcante partida de futebol em plena guerra.

Segundo o Jornal Daily Mail, nos últimas dias do ano - quando se comemora o Natal - os soldados alemães decoraram as trincheiras com árvores e entoavam canções de natal. Os ingleses, poucos metros dali observaram e entraram na onda cantando suas próprias canções. Neste meio tempo ambos aproveitaram para recolher seus feridos em campo de batalha sem medo de tomar tiros.

A região da Bélgica, denominada Ypres, ficou conhecida por receber a chamada Trégua de Natal. Os soldados até trocaram presentes entre si. Para selar a trégua, ainda disputaram uma partida de futebol.

Demais, não é mesmo?

Alemanha Ocidental x Hungria

Quando foi: 1954

Novamente em meio a guerra, desta vez a segunda guerra mundial, coincidentemente a Alemanha Ocidental - centro das atenções da Guerra por conta do Nazismo - chegou à final da Copa do mundo daquele ano. A partida contra a hungria (poderíamos dizer que aquela era a ótima geração húngara), sob o comando de Ferenc Puskás - jogador de onde se originou o famoso prêmio Puskás, da Fifa.

O time húngaro era o franco favorito, já que estava há 32 partidas invicto e, para piorar, na fase de grupos a alemanha perdeu para os húngaros por incríveis 8x3. Mas futebol é futebol, não é mesmo? A Hungria fez 2x0 antes dos 10 minutos de partida. A Alemanha se recuperou empatando o jogo antes mesmo do intervalo. No segundo tempo a Alemanha virou com o jogador Helmut Rahn.

Para os alemães a partida ficou conhecida como "Milagre de Berna", enquanto para os húngaros, foi um desastre total. A vitória Alemã marcou também a primeira vez que o hino da Alemanha foi tocado para o mundo ver durante/depois da guerra.

Rangers X Bucks

Quando foi: 1966

Durante dois anos os prisioneiros de Robben Island, na África (presídio conhecido por acomodar Nelson Mandela), pediam aos diretores o direito de jogador futebol nos momentos de lazer. Por muito tempo tal conduta era considerada rebelião e os presos sofreram as mais variadas penas pelo tumulto. Só que em 1966 o Diretor da prisão cedeu aos pedidos e assim foi criada uma liga específica interna, baseada num dos poucos livros do acervo local, um livro de regras da FIFA.

A Primeira partida foi disputada entre Rangers e Bucks, e embora o resultado do jogo não seja registrado, a partida é um verdadeiro marco na esperança daqueles que sofreram para conseguir uma simples permissão de bater bola.

Para o Professor Chuck Korr, autor de "Mais do que um jogo: Futebol vs. Apartheid", "Robben Island criou uma  nova geração de pessoas que lutam pela liberdade".

Sensacional!

Santos x Seleção do Meio Oeste - Nigéria

Quando foi: 1969

Biafra na Nigéria estava em meio a uma guerra civil e absolutamente uma pessoa poderia causar um cessar fogo tão nobre. Pelé e o Santos literalmente uniram o lado oeste e leste da região para contemplar o Rei do Futebol desfilando em campo. O Governador local, o Tenente Coronel Samuel Ogbemudia decretou feriado e abriu as barricadas da ponte que separavam as cidades para que todos pudessem assistir à partida.

Santos de Pelé levou um pouco paz à África

O santos fez uma turnê em solo africano, jogando nove partidas com direito a oito gols do Rei. Ah, a guerra civil nigeriana terminou no começo do ano seguinte.

Costa do Marfim X Sudão

Quando foi: 2005

Já ouviu falar em Didier Drogba? O grande ídolo costa-marfinense é também eleito pela Revista Time, em 2010, uma das 100 personalidades mais influentes do mundo. Muito além do que é capaz de fazer dentro de campo, Drogba é um verdadeiro agente da Paz para a Costa do Marfim.

Neste jogo contra o Sudão, durante o intervalo, Drogba pegou o microfone e em rede nacional apelou para que as facções rebeldes acabassem com a guerra civil que, na época, já durava três anos e se estendeu até 2007. Junto de seus companheiros, ele se ajoelhou e pediu paz.

Turquia X Armênia

Quando foi: 2009

Você deve ter percebido dos cinco exemplos citados até aqui envolvem conflitos entre civis e militares ou então verdadeiras guerras mundiais. Pois mais um exemplo de que o Futebol pode render ao menos uma trégua para conflitos que duram séculos ocorreu em 2009.

O acordo de paz veio dias depois, e começou muito bem através do respeito dentro de campo.

Os países duelam e somam milhões de mortes no campo de batalha desde a primeira guerra mundial, mas a convite do presidente da Armênia, um jogo de futebol foi acertado e com ele, dias depois, um acordo de paz - que outrora jamais seria cogitado.

_______________________________________

O futebol é Gigante e vimos novamente com a tragédia envolvendo a Chapecoense que quando querem, as torcidas adversárias se unem em prol da paz e segurança. Que mais episódios de pacificação sejam registrados. Nós do Minha Torcida vamos acompanhar e trazer tudo pra você.