Titular da Seleção Brasileira incontestável, Alisson que defende o Liverpool - da Inglaterra, em entrevista recente fez uma projeção sobre o seu futuro e também afirmou que já não se cobra mais tanto pelos gols tomados contra a Bélgica, na última edição da Copa do Mundo que eliminou a Seleção Brasileira do torneio.

Eleito o melhor goleiro do mundo no último ano, onde ajudou a equipe inglesa a conquistar a Europa e o Mundo, o mesmo que está na titularidade da Seleção Brasileira há cinco anos e conta com um currículo extenso, nem parece ter apenas 28 anos. Mesmo já tendo conquistado muito, o mesmo fala em esticar ao máximo a sua carreira como goleiro, onde em entrevista ao site "GE", comentou sobre o amadurecimento, idolatria e conquistas; isso sem falar no sonho em poder voltar ao Internacional, seu clube do coração.

Além desses assuntos, Alisson também comentou sobre as lições aprendidas com a eliminação na Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Copa da Rússia - 2018:

"Irei carregar essa eliminação, que é a frustração de um sonho. Mas o que a gente faz com isso é o que irá determinar o quanto seremos sucedidos no futuro", declarou.

Recuperado de uma lesão que o afastou de seu time e também da seleção nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias, Alisson estará de volta à meta defendia pelo Brasil na próxima sexta-feira, diante da Venezuela, justamente diante do adversário do qual realizou a sua estreia com a camisa da seleção, no ano de 2015.

Sequência da carreira:

"Nunca fui de fazer muitos planos de longo prazo. Logicamente, alimentei sonhos, mas sempre com os pés no chão e muito focado com o que tenho em mãos, o que posso fazer agora. Tenho planos de fazer uma carreira longa no futebol, de jogar o máximo que eu puder em alto nível. Agora se vai ser até 35, 40 anos, não sei, tenho muita estrada até lá. Espero dar o meu melhor enquanto estive na Seleção e na Europa. Tenho o desejo de retornar ao Brasil, mas quando vai acontecer isso, só Deus sabe. Os planos a gente faz, mas com certeza eu sei que Deus tem algo preparado para mim no futuro, mas vou vivendo o presente por enquanto.

Ainda com relação à entrevista concedida ao site já acima aqui citado, o goleiro de 28 anos falou de seu sonho em poder retornar ao seu time do coração.

O Internacional:

"Tenho muito respeito por todos os clubes do Brasil, talvez até tenha vontade de jogar em algum outro clube, mas não sei se conseguiria voltar para o Brasil e não ir para o Inter. Eu sei que Deus tem algo para mim, quero seguir os planos de Deus para minha vida, mas o desejo do meu coração para quando voltar ao Brasil, se Deus for atendê-lo, é voltar para o Inter, para casa, para o clube que eu amo", finalizou.