De partida há pouco tempo para o Al Duhail, anunciada na última segunda-feira, Dudu acredita que sua transferência para o futebol árabe diminui ainda mais suas chances de defender o Brasil. Emprestado pelo Palmeiras ao time do Catar por um ano, o jogador já estuda prolongar a estadia no país e não descarta a possibilidade de se naturalizar para atuar na seleção local.

"Em cinco anos, não tivemos a oportunidade que esperávamos, jogando no Brasil, com o treinador vendo todos os jogos. Então, vai ficar mais difícil ainda aqui. Mas sou bem tranquilo em relação a isso. O importante é, lá na frente, olhar para trás e ver que fiz uma carreira legal", disse Dudu, ainda com esperanças.

Neste mesmo raciocínio, o atacante disse:

"Cada técnico tem suas escolhas e a gente respeita. O Tite é um grande treinador e tenho certeza que ainda vai fazer muito pela Seleção. Disputar um torneio pelo seu país é o sonho de todo jogador e, infelizmente, ainda não aconteceu para mim. Mas, enquanto seguir jogando, tenho que continuar com esse sonho", declarou.

Segundo o ex-palmeirense, os dirigentes de seu novo clube já ventilam com a possibilidade de uma eventual naturalização para defender a seleção do Catar - país sede da Copa do Mundo 2022. Sem nunca ter disputado um jogo oficial pelo time principal Brasil, nada impede o atacante de vir a defender outra seleção, desde que ele se naturalize pelo mesmo.

"Se chegar a acontecer, vai provar que estou fazendo um bom trabalho aqui, uma história legal dentro do país. Esse é o objetivo: fazer um bom trabalho e, daqui a 10 anos, ter o carinho e o respeito do país. É muito gratificante e importante para uma pessoa o carinho de um país como o Catar", declarou.

Desde que chegou ao Catar, o ex-atacante do Palmeiras vem trocando mensagens com o brasileiro Luiz Mairton. O meio-campista do Al Duhail, com longa passagem pelo futebol do país asiático, decidiu se naturalizar - caminho esse que poderá ser tomado por Dudu.